15 C
Castelo Branco
Segunda-feira, Outubro 26, 2020
No menu items!
Início Cultura Aldeias do Xisto levam “Agricultura Lusitana” ao Museu Etnográfico Louzã Henriques

Aldeias do Xisto levam “Agricultura Lusitana” ao Museu Etnográfico Louzã Henriques

Cultiva a tua cultura

Após um périplo pelo mundo, a exposição “Agricultura Lusitana” apresenta-se agora no Museu que foi fonte de inspiração inicial, e onde a ligação à terra é olhada à luz do design contemporâneo.

Uma viagem às origens da nossa identidade cultural, que pode ser visitada até final de agosto do próximo ano.

Até ao próximo ano, a exposição “Agricultura Lusitana 2015-2020” pode ser visitada no Museu Etnográfico Louzã Henriques (Lousã), local que serviu como uma das fontes de inspiração iniciais para a conceção da mesma.

Promovida pela ADXTUR-Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto, a exposição leva os visitantes até à região das Aldeias do Xisto através das relações Craft+Design+Identidade, dando a conhecer os caminhos pedagógicos que ligam o conhecimento e a investigação ao desenvolvimento sustentável.

Para Rui Simão, director executivo da ADTUR, «a “Agricultura Lusitana” leva-nos numa viagem pelo que de mais genuíno há em nós, explorando o potencial que a agricultura permitiu na evolução do homem, na fixação aos lugares, no desenvolvimento dos artefactos e de toda a cultura rural, material e imaterial, onde se inscreve grande parte da nossa matriz identitária

O projeto envolveu 22 ateliers de craft e nove escolas superiores de design, que juntaram o seu conhecimento e capacidades à realidade das aldeias, desbravando assim caminho para uma nova economia, apta a produzir bens e serviços com memória e identidade.

Como inspiração para as inúmeras peças apresentadas destacam-se os artefactos agrícolas, as paisagens e a cultura das pessoas, elementos essenciais da identidade dos lugares das Aldeias do Xisto.

Este relacionamento direto com as pessoas, as paisagens e a cultura, esteve no centro do pensamento sobre a identidade dos lugares e foi a fonte de inspiração material dos artefactos apresentados, que refletem também a emoção de todos quantos participaram na sua execução.

Apostar na aproximação dos jovens a um território que aposta no design como forma diferenciadora para a sua evolução foi também uma das premissas desta exposição que, segundo Rui Simão, «posiciona as Aldeias do Xisto como entidade de acolhimento, de espaço de vida e de realização. Um território onde se pode viver, sentir, aprender, experimentar e, assim, criar novas ligações à terra e encontrar novos caminhos para o desenvolvimento, salvaguardando sempre as vivências e as memórias das comunidades.»

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

OE2021: Costa abre debate de terça-feira com viabilização da proposta só garantida na generalidade

O primeiro-ministro abre na terça-feira na Assembleia da República o debate da proposta de Orçamento do Estado para 2021, que só tem...

Escola Internacional de Línguas em Vila de Rei: consulte as turmas e horários

Encontram-se ainda a decorrer as inscrições para as aulas em Vila de Rei do Curso de Inglês para crianças, adolescentes e adultos,...

100 alunos de escolas da região gravam CD com o Coro Misto da Beira Interior

No âmbito da comemoração do 30º aniversário do Coro Misto da Beira Interior, cinco alunos do Agrupamento de Escolas de Proença-a-Nova, com...

Grupo de Escoteiros de Penamacor oficialmente reativado

O Grupo de Escoteiros AEP 163 de Penamacor foi oficialmente reativado. A reativação foi assinalada com uma cerimónia de...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: