14 C
Castelo Branco
Domingo, Outubro 25, 2020
No menu items!
Início Nacional Tiago Mayan critica discurso do Presidente da República no 5 de outubro

Tiago Mayan critica discurso do Presidente da República no 5 de outubro

O candidato presidencial Tiago Mayan criticou, ainda ontem,o discurso do Presidente da República no 5 de outubro.

“Marcelo Rebelo de Sousa ofereceu hoje [ontem dia 5] ao país um pífio discurso comemorativo do 5 de Outubro, que foi um reflexo da contradição profunda entre tudo o que diz e tudo o que (não) faz.”, refere o candidato em comunicado.

E a nota enviada à comunicação social continua denunciando, que “o Presidente que clamou contra os portugueses privilegiados, é o mesmo Marcelo que assistiu impávido e sereno ao nepotismo desenfreado no 1º Governo de António Costa, aos escândalos da Caixa e do Novo Banco, à transferência directa do Ministro Centeno para o cargo de Governador do Banco de Portugal, ou, mais recentemente, à distribuição de cargos nas CCDR entre PS e PSD e ao episódio da “dispensa” do Presidente do Tribunal de Contas”.

Marcelo Rebelo de Sousa

E o comunicado continua com um conjunto de afirmações:

“O Presidente que apregoa a necessidade de combater a pandemia e de respeitar as orientações das autoridades de saúde, é o mesmo Marcelo que abriu a porta pelo seu próprio punho a exceções incompreensíveis durante o estado de emergência, como a celebração do 1º de Maio, e que, no próprio dia em que faz essa proclamação, não escapa à ironia de estar presencialmente na CM de Lisboa, ao arrepio das regras vigentes para o cidadão comum, quando Ursula van der Leyen, que também esteve na reunião do Conselho de Estado, se colocou e permanece em isolamento.

O Presidente que afirma não querer ditaduras em Portugal, é o mesmo Marcelo que se cala perante a degradação da capacidade de escrutínio e de acção da AR e entidades fiscalizadoras e anda há semanas a pressionar os partidos com assento parlamentar para aprovarem sem contraditório o orçamento do PS, tentando eliminar o normal jogo de negociação e debate democráticos.

O Presidente que que afirma que a ética republicana exige a luta contra o compadrio, clientelismo e corrupção, é o mesmo Marcelo que não vê todos os evidentes sinais do grande assalto que se prepara aos fundos europeus.

O País está cansado das proclamações sobre a necessidade de apurar, esclarecer cabalmente, levar até às últimas consequências. O País sabe que depois, nunca nada do que é prometido acontece. A inutilidade do discurso de Marcelo retrata de forma fiel os seus 5 anos de mandato. O Professor Promessas já não tem mais nada a oferecer ao País.

Por último o comunicado do agora candidato, Tiago Mayan refere que “Ética, republicana ou outra, é verdade, é justeza, é coragem, é acção. Um Presidente Liberal trará esses valores ao exercício do seu mandato”.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

II Programa de Hosted Buyers and Suppliers: Turismo Ibérico reúne-se na Beira Baixa

Encontro online realiza-se a 28 de outubro A Península Ibérica volta a encontrar-se na Beira Baixa.

Novo portátil HP Spectre x360 14: o design Inovador junta-se à Inteligência Adaptativa e a Desempenho de Topo

Este elegante PC convertível é um reflexo da liderança da HP no campo da sustentabilidade e o primeiro portátil do mundo...

Sondagem APCOI: 65% das crianças com obesidade em Portugal sofrem bullying escolar

1 em cada 5 crianças com obesidade foi vítima pela primeira vez de um ataque de cyberbullying nas redes sociais relacionado com o...

Marisa Matias reuniu com representantes do movimento cívico em Defesa Hospital dos Covões

O contínuo encerramento de serviços e desmantelamento do Hospital dos Covões foi motivo para uma reunião, dia 24/10, entre Marisa Matias e...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: