12.8 C
Castelo Branco
Quarta-feira, Outubro 28, 2020
No menu items!
Início Internacional Bloco de Esquerda organizou sessão temática em Castelo Branco sobre Central Nuclear...

Bloco de Esquerda organizou sessão temática em Castelo Branco sobre Central Nuclear de Almaraz

Realizou-se, no passado sábado, dia 10 de outubro, uma sessão pública sobre a temática da Central Nuclear de Almaraz organizada pelo Bloco de Esquerda. 

A iniciativa foi realizada na Biblioteca Municipal de Castelo Branco e contou com as intervenções da deputada do Bloco de Esquerda na Assembleia da República, Fabíola Cardoso, e do meteorologista e ativista ambiental na região do Tejo, Manuel Costa Alves.

A moderação ficou a cargo do membro da Comissão Coordenadora Distrital de Castelo Branco do Bloco, António Fiúza. 

A sessão, realizada conforme as medidas sanitárias emanadas da DGS, juntou mais de três dezenas de pessoas.

O público foi bastante interventivo colocando questões e dando a conhecer as suas reflexões sobre a problemática ambiental e social derivada da Central Nuclear de Almaraz.

 Um perigo iminente

Durante a sessão foram dados vários exemplos de centrais nucleares e dos problemas associados a estas estruturas, como por exemplo o acidente em Fukushima, em 2011. 

Também se falou de forma como afetaria na região transfronteiriça um incidente na central e de acordo com a simulação feita com tecnologia da NATO pela Escola Prática de Engenharia do Exército, um acidente nuclear em Almaraz, com as mesmas características que o ocorrido em 2011, em Fukushima, lançaria uma nuvem radioativa para a atmosfera que, ao fim de 38 horas, já teria atravessado a fronteira e atingido a região centro de Portugal.

As cidades mais afetadas seriam Castelo Branco e Portalegre, que ao fim de um mês já teriam acumulado na atmosfera 1 sievert (Sv) de radiação ionizante sobre os seres humanos.

Em junho de 2020, a Central sofreu dois incidentes no espaço de 5 dias onde os reatores das Unidades I e II se desligaram automaticamente sendo que a Unidade I estava em fase de carregamento de energia, a 51%.

A falta de arrefecimento pela água, devido a desativação automática dos reatores poderia levar ao aquecimento provocando uma fusão nos reatores. 

A necessidade de Planos Especiais de Emergência

Tanto Fabíola Cardoso, como Manuel Costa Alves, que já defende a necessidade de Planos Especiais de Emergência há alguns anos, consideram imperativo a implementação destes planos com o objetivo de informar, organizar e proteger as populações possivelmente afetadas por um desastre nuclear em Almaraz.

Por isso é imprescindível conhecer cientificamente o que poderá acontecer em caso de acidente e criar cenários sobre os diferentes graus de intensidade de um acidente nuclear e a sua propagação quer à bacia hidrográfica do Tejo, quer atmosférica. 

Equacionar com especialistas os vários cenários com base nos diferentes graus de intensidade identificados e nos graus de dano previstos e definir raios de acção.

O Bloco ainda defendeu que se definam as medidas preventivas em caso de declaração de emergência e que de forma clara e inequívoca cada entidade do Sistema de Protecção Civil saiba o que fazer.

A importância do envolvimento dos jovens e de especialistas 

Foi também consensual que os jovens sejam parte ativa desta reivindicação, a do encerramento da Central Nuclear de Almaraz, devido ao dinamismo e persistência da juventude, sobretudo nas lutas ambientais, tal como se tem visto com o movimento da Marcha Mundial pelo Clima. 

A necessidade de debate junto de especialistas também foi discutida durante a iniciativa devido a importância de arranjar argumentos consistentes para levar ao encerramento da central e de conhecer cientificamente todos os cenários em casa de acidente. 

Assembleias Municipais preocupadas com a Central

A Assembleia Municipal de Castelo Branco aprovou, em junho de 2020, por unanimidade uma moção que pede ao Governo português uma intervenção junto do Estado espanhol e das instituições europeias para o encerramento definitivo da central nuclear espanhola de Almaraz.

Na moção apresentada e subscrita por todas as bancadas com representação na Assembleia Municipal de Castelo Branco (PS, PSD, CDS-PP, BE e CDU), os deputados municipais realçam que a central nuclear de Almaraz, em Espanha, “registou nos últimos cinco dias dois incidentes”.

Também a Assembleia Municipal da Covilhã, em 2019, aprovou por unanimidade uma moção que pedia o fim da continuidade da Central Nuclear de Almaraz.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

Trabalhadores da Lusa exigem suspensão de corte de subsídio ou avançam para greve

Os trabalhadores da Lusa decidiram, em plenário, exigir ao Conselho de Administração da agência a suspensão imediata do corte de 30 euros...

CERCICAPER promoveu curso de cozinheiro em Proença-a-Nova

Estágio decorre em instituições do concelho Os 10 formandos do Curso de Cozinheiro, promovido pela Cercicaper - Cooperativa...

Orquestra Barroca em residência artística de Outono em Monsanto e Idanha-a-Velha

A Orquestra Barroca realiza entre os dias 27 e 31 de outubro uma residência artística de outono, nas aldeias históricas de Monsanto...

Município de Vila Velha de Ródão investe na requalificação e promoção dos percursos pedestres

O Município de Vila Velha de Ródão está a promover a requalificação dos percursos pedestres do concelho, uma intervenção que teve início...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: