14.4 C
Castelo Branco
Sábado, Outubro 24, 2020
No menu items!
Início Nacional Covid-19: DGS diz que é preciso distinguir sequelas que ficam da doença...

Covid-19: DGS diz que é preciso distinguir sequelas que ficam da doença ou do internamento

A diretora-geral da Saúde afirmou hoje que é preciso distinguir se as sequelas que ficam nos doentes com covid-19 derivam da doença ou do tratamento e do longo tempo de internamento nos cuidados intensivos.

“Temos que perceber o que é que se deve à própria covid-19 ou o que é que se deve às consequências do tratamento e do internamento”, disse Graça Freitas na conferência de imprensa de atualização de informação relativa à infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a Covid-19.

Graça Freitas lembrou que a epidemia em Portugal começou no dia 02 de março, mas já tinha começado em dezembro na China e começam agora a surgir números e estudos relacionados com possíveis sequelas.

“Mas temos que distinguir aqui duas situações, nomeadamente as do foro neuromuscular e da questão relacionada com a perda de capacidade física e muscular, e de sequelas que ficam e que podem ter diretamente a ver com a doença, ainda não temos a certeza absoluta, ou podem ter a ver com o facto de alguns destes doentes terem tido internamentos prolongados, nomeadamente em unidades de cuidados intensivos”, adiantou.

A diretora-geral da Saúde explicou que as pessoas que ficam em cuidados intensivos, ventiladas e por períodos longos, independentemente da doença que deu origem a esse internamento, podem apresentar sequelas que podem ser reversíveis com a fisioterapia e tratamento e com a passagem do próprio tempo.

Sublinhou ainda que os médicos dos hospitais que têm internados estes doentes e que lhes deram alta acompanham a sua convalescença e vão monitorizando o aparecimento e o desaparecimento destas sequelas.

“Este é um trabalho normal e é também normal que exista neste momento casuística nos hospitais e estudos descritivos que dizem exatamente isso, quantas pessoas é que ficaram com sequelas e o que é que aconteceu se são permanentes ou se, entretanto, desapareceram”, rematou.

Portugal regista hoje 2.608 novos casos de infeção com o novo coronavírus, o valor diário mais elevado desde o início da pandemia de covid-19, e 21 mortos, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

É o terceiro dia consecutivo que Portugal tem mais de dois mil novos casos, após os 2.072 registados na quarta-feira e os 2.101 na quinta.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 2.149 mortes e 95.902 casos de infeção, estando ativos 37.697 casos, mais 1.602 do que na quinta-feira.

*LUSA

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

Federações europeias da restauração e do alojamento defendem aplicação generalizada da taxa reduzida de IVA em toda a Europa

HOTREC, FoodDrink Europe e FoodService Europe juntam-se para reclamar descida generalizada do IVA nos serviços de alimentação e bebidas. Medida pode...

Bastonário abre ano letivo dos cursos de Psicologia

Cerimónia no Instituto Piaget, em tempo de pandemia, decorreu em formato virtual com o Bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses a...

Museu do Quartzo, em Viseu, expõe histórias e testemunhos sobre a exploração mineira em Santa Luzia

“Do bronze ao aço” inaugura este domingo, dia 25. Exposição propõe uma viagem no tempo e na história do imponente Castro...

Câmara de Idanha-a-Nova reforça parceria com Associação Nacional de Farmácias

A Câmara Municipal de Idanha-a-Nova reuniu no dia 22 de outubro com dirigentes da Associação Nacional de Farmácias, numa visita desta organização...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: