12.2 C
Castelo Branco
Quinta-feira, Dezembro 3, 2020
No menu items!
Início Nacional Trabalhadores da Lusa exigem suspensão de corte de subsídio ou avançam para...

Trabalhadores da Lusa exigem suspensão de corte de subsídio ou avançam para greve

Os trabalhadores da Lusa decidiram, em plenário, exigir ao Conselho de Administração da agência a suspensão imediata do corte de 30 euros no subsídio de transporte a partir de outubro, caso contrário avançam para greve.

Os trabalhadores da Lusa marcaram desde já um plenário para a próxima semana e, se durante este prazo, de hoje até a uma semana, não houver nenhuma novidade, ou nenhum passo dado, tanto pela administração, como pelas tutelas, avançaremos para a marcação da greve, da forma que seja aprovada no próximo plenário”, adiantou o dirigente sindical do Sindicato dos Trabalhadores e Técnicos de Serviços, Comércio, Restauração e Turismo (SITESE), Silvestre Ribeiro, em conferência de imprensa, após o plenário que se decorreu esta tarde.

O plenário decidiu enviar ainda hoje ao Conselho de Administração da empresa uma moção, aprovada em maioria, a exigir a suspensão imediata do corte no subsídio de transporte, que tem efeitos no salário deste mês, dando o prazo de uma semana para obter uma resposta.

“Se não for reposto o valor nos 69,5 [euros] que era pago, vamos avançar para a greve, até que esta situação seja revista, porque não estamos de acordo com o corte de 29,5 [euros] no nosso salário e esperamos sinceramente que esta situação seja reposta o mais brevemente possível e com retroativos”, acrescentou Silvestre Ribeiro.

O dirigente sindical adiantou que os trabalhadores se sentem “quase que traídos” com esta “decisão unilateral” da administração, e lamentam que sejam “talvez os únicos trabalhadores em Portugal” penalizados pela descida do valor do passe social na Área Metropolitana de Lisboa.

Na sexta-feira, através de uma nota enviada pelo presidente do Conselho de Administração, Nicolau Santos, os trabalhadores da Lusa ficaram a saber que o subsídio de transporte passava a ser de 40 euros a partir deste mês, o que representa um corte de 30 euros.

Esta decisão decorre do parecer da sociedade de advogados Sérvulo Correia & Associados, da posição do secretário de Estado do Tesouro transmitida à administração da Lusa, do parecer da assessoria jurídica pedida pelo Ministério da Cultura e da decisão do Conselho de Administração.

Os representantes dos trabalhadores já pediram os pareceres, para que os possam consultar e analisar, mas, até ao momento, ainda não lhes foram facultados.

De acordo com uma nota enviada hoje aos trabalhadores pelo presidente do Conselho de Administração (PCA) da agência Lusa, Nicolau Santos, o secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva, “reafirmou a vontade política de resolver a questão do subsídio de transporte”.

Segundo a mesma nota, o governante telefonou hoje ao PCA da Lusa e “pediu para que fosse transmitida aos trabalhadores a mensagem de que, após a aprovação do Orçamento do Estado para 2021, os dois secretários de Estado que tutelam a empresa (Tesouro e Cinema, Audiovisual e Media) se reunirão com o PCA para encontrar uma solução para o problema que seja aceitável para todas as partes”.

Para Silvestre Ribeiro, esta mensagem pode ser interpretada como “ações de diversão, tanto da administração, como das tutelas [Cultura e Finanças]”, uma vez que, apesar de demonstrarem vontade de resolver o problema, não são tomadas “as ações necessárias” para isso.

“Não houve vontade de resolver esta situação a seu tempo”, acusou.

Os sindicatos (Sindicato de Jornalistas, SITESE e SITE/CSRA – Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Centro Sul e Regiões Autónomas) foram informados da decisão de cortar 30 euros ao subsídio de transporte em 23 de outubro, numa reunião que decorreu na sede da Lusa, em Lisboa.

A Comissão de Trabalhadores da Lusa repudiou hoje a decisão da administração e lembrou que o subsídio de transporte é pago a todos os trabalhadores da Lusa, “independentemente de apresentarem ou não comprovativo da compra de passe social, pelo que se trata efetivamente de um suplemento remuneratório e o seu corte (justificado com o indexante) levanta dúvidas legais”.

Mais, a CT sublinhou que aquele subsídio surgiu como forma de compensar os trabalhadores pela ausência de aumento salarial durante vários anos.

“A solução para esta situação é fácil e está acordada entre a administração e os sindicatos desde janeiro deste ano: a inscrição dos 69,65 euros no Acordo de Empresa” (em vez da referência ao valor mais alto do passe da Área Metropolitana de Lisboa), defendeu a CT, apesar de esse acordo não ter sido ratificado pelo Conselho de Administração da Lusa.

O valor dos passes diminuiu no ano passado, com a aplicação do Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) em abril de 2019, sendo que o valor máximo atual do passe Metropolitano, que dá para viajar em todos os operadores em toda a área metropolitana de Lisboa, é de 40 euros.

*LUSA

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

Covid-19: Epidemia atingiu o pico em Portugal no dia 25 de novembro

A epidemia de Covid-19 atingiu o pico da sua incidência em Portugal no dia 25 de novembro, verificando-se já uma tendência de descida, disse...

Covid-19: Disponibilidade dos farmacêuticos e das farmácias

VACINA COVID-19 No momento da elaboração do Plano de Vacinação contra a Covid-19, os Farmacêuticos e as Farmácias afirmam publicamente a sua disponibilidade para integrarem...

Rangel lança serviço de grupagem ‘Connecting Africa’

SOLUÇÃO RESPONDE ÀS CONTINGÊNCIAS IMPOSTAS PELA PANDEMIA A Rangel Logistics Solutions (RLS) anunciou recentemente o lançamento do serviço “Connecting Africa”, uma solução que se dedica às importações...

ESCLARECIMENTO: Gabinete do Ministro de Estado, da Economia e Transição Digital

ESCLARECIMENTO "Ao longo dos últimos dias têm sido sistematicamente veiculadas, nos noticiários de diversos órgãos de comunicação social, afirmações de membros do movimento autointitulado “a pão e...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: