15.6 C
Castelo Branco
Segunda-feira, Novembro 30, 2020
No menu items!
Início Nacional Critérios usados pela ANACOM sobre reclamações no setor das comunicações insistem em...

Critérios usados pela ANACOM sobre reclamações no setor das comunicações insistem em denegrir o setor e revelam falta de transparência

Altice Portugal regista a inconsistência e falta de transparência dos
números divulgados

Os mais recentes dados divulgados pela ANACOM sobre reclamações no setor das
comunicações são apenas mais uma clara tentativa do Regulador em denegrir o setor.

Por maior esforço e empenho que este setor faça em termos de investimento em redes e infraestruturas de comunicação, em serviços e produtos inovadores, a ANACOM continua a denegrir de forma reiterada a imagem do setor em Portugal.

“A Altice Portugal não pode deixar de registar a inconsistência e falta de transparência dos números divulgados, já que a ANACOM apresenta os valores absolutos, não tendo em conta o volume de Clientes por operador.”, refere a Companhia em comunicado.

“A única forma intelectualmente honesta de apresentar as reclamações do setor, e que a ANACOM já chegou a fazer no passado recente, é reportar as reclamações por 1.000 Clientes.”, acrescenta o mesmo documento.

Ora, o setor das telecomunicações tem um valor de ~0,37 reclamações por 1.000 Clientes, o que demonstra a qualidade do serviço prestado em Portugal, ao invés da mensagem que o Regulador passa.

Esta média compara muito positivamente com outros setores que apenas prestam um tipo de serviço.

Hoje o setor das telecomunicações é dos setores com mais variedade e volume de
serviços disponibilizados aos Clientes, todos eles considerados essenciais e
fundamentais para a vida das pessoas.

Hoje já ninguém tem dúvidas quanto ao motivo que leva o Regulador a utilizar diferentes critérios em documentos de grande importância para o mercado e para o setor: enviesar completamente a leitura dos portugueses sobre o estado das telecomunicações em Portugal.

A Altice Portugal faz, por isso, a análise por cada mil clientes, já que considera que esta é a única forma de garantir que a informação é transparente e útil, considerando a dimensão de cada um dos operadores.

Assim, em outubro, o MEO continua a ser o Operador com menor índice de reclamações por 1.000 Clientes: 0,35.

A pandemia da COVID-19 tem obrigado os operadores a um reforço e investimento na capacidade, resiliência e segurança das redes, para garantir que todas as famílias e empresas continuem a trabalhar.

“No entanto, o Regulador continua a desprezar o papel fundamental deste setor, mesmo no contexto de crise pandémica grave, em que coube aos operadores nacionais assegurar o pleno e regular funcionamento em diferentes áreas da administração pública e da economia nacional.”, conclui o documento da empresa.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

CASTELO BRANCO: “Já Leram a Poesia de Natal de Frei Agostinho da Cruz?” tema de palestra com António Salvado

A Real Associação da Beira Interior, organizou uma palestra no dia 28 de Novembro, subordinada ao tema “Já Leram a Poesia de...

Covid-19: Moderna pede uso de emergência de vacina a reguladores nos EUA e Europa

A farmacêutica norte-americana Moderna anunciou hoje o pedido de utilização de emergência da sua vacina para a covid-19 aos reguladores do medicamento...

Covid-19: Comissão Europeia aprova ajuda estatal de Portugal de 750 ME para PME

A Comissão Europeia aprovou hoje uma ajuda estatal de Portugal, de 750 milhões de euros, para micro e pequenas empresas afetadas pela...

As 10 melhores ideias para jantares e festas de Natal

A Fixando, com o objetivo de dinamizar as empresas e a prestação de serviços dos profissionais ligados à área dos eventos em Portugal,...

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: