28.3 C
Castelo Branco
Quarta-feira, Julho 28, 2021
No menu items!
InícioNacionalOuro líquido em três versões

Ouro líquido em três versões

Os azeites da Quinta de Lemos chegam este ano finalmente ao mercado, com as variedades Galega, Arbequina e Cobrançosa

Durante anos, o azeite da Quinta de Lemos foi um segredo conhecido e partilhado apenas pelos comensais do Mesa de Lemos, o restaurante desta Quinta do Dão onde era servido, com direito ao seu próprio “momento”.

Este ano, o azeite da Quinta de Lemos chega finalmente ao mercado, em três versões de ouro líquido, Galega, Arbequina e Cobrançosa, para que todos os Portugueses o possam descobrir, quem sabe, já à mesa desta Consoada.

Que a Quinta de Lemos tinha bons vinhos e premiados, já toda a gente sabia, mas que tinha também excelentes azeites é o que se vai poder agora descobrir.

Desde 2014 que o olival da Quinta de Lemos, composto por 7 hectares e aproximadamente 2500 oliveiras, começou a ser desenvolvido. 

Mas só em 2017 iniciou a produção de azeite nesta quinta do Dão. 

Atualmente, a produção média é de 3000 garrafas por ano.

À semelhança das vinhas, também o olival é tratado dentro de um programa de protecção integrada, mantendo todo o respeito pela natureza e o meio ambiente.

Para contribuir ainda mais para esta causa ambiental, 6 hectares do olival estão a ser reconvertidos para agricultura biodinâmica.

Na altura da apanha, em Outubro e Novembro, as azeitonas são colhidas à mão e processadas num período máximo de 24 horas, para preservar toda a frescura e qualidade.

A colheita é feita manualmente nas árvores de pequeno porte (Arbequina, Verdial), e nas árvores de maior porte é usada uma ferramenta vibratória nos galhos, que não danifica nem parte os ramos das oliveiras.

As azeitonas são colocadas em caixas até 15 kg e transportadas para o lagar, onde o azeite é extraído por processos estritamente mecânicos e a frio. 

Todos os azeites da Quinta de Lemos são extra-virgens e têm uma acidez muito baixa, que varia entre 0,09 e 0,12.

A “maga” dos azeites da Quinta de Lemos dá pelo nome de Cátia Correia.

Engenheira agrónoma de 33 anos, foi contratada inicialmente para tratar dos pomares, colmeias e criar uma horta biológica na propriedade, mas foi prontamente desafiada por Celso de Lemos para fazer “o melhor azeite do Dão”.

A partir daí, fez os três níveis do curso do ISA do professor José Gouveia, de análise sensorial do azeite, e não mais parou.

Azeite Quinta de Lemos

“Na mesma linha dos vinhos Quinta de Lemos, que procuram a excelência e espelhar o melhor de Portugal e do Dão, também os nossos azeites têm o mesmo padrão de qualidade”, afirma Pierre de Lemos, director-geral da Quinta de Lemos.

A partir deste ano, os azeites Quinta de Lemos podem ser apreciados por todos, quer na sua versão de garrafa individual (PVP de 19€), quer na sua versão de caixa com 3 garrafas (PVP de 49€).

Uma bela (e saudável) sugestão de prenda para este Natal.

Alguns pontos de venda onde pode encontrar estes azeites são a Garrafeira Symposio, em Coimbra, a Garrafeira Feira do Vinho, em Almancil, a Finos segredos, em Vale de Cambra, a Garrafeira/Restaurante 3 pipos, em Tondela ou a Garrafeira Ideal, na Caranguejeira, entre outros.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: