15.6 C
Castelo Branco
Terça-feira, Janeiro 26, 2021
No menu items!
Início Nacional LIVRE lamenta OE2021 tímido e pouco ambicioso

LIVRE lamenta OE2021 tímido e pouco ambicioso

O Orçamento do Estado para 2021 foi aprovado.

Embora tenham sido alcançadas melhorias na especialidade, o LIVRE “considera que este OE continua a ser tímido e pouco ambicioso no combate à crise sanitária e às emergências social e ecológica”. 

O LIVRE entende que “faltou coragem para aprofundar e melhorar os mecanismos do Estado Social, essenciais para combater a crise económica decorrente da pandemia da COVID-19, e para garantir que ninguém fica para trás”.

Em vez disso, o Orçamento do Estado insiste “num conjunto de apoios desconexos e limitados que mais não são que um conjunto de remendos temporário,  frágil e manifestamente insuficiente”.

O LIVRE tem alertado para a “necessidade de implementação de um Rendimento Básico Incondicional de Emergência como resposta solidária, eficaz, que chegue a toda a gente e que garanta que absolutamente ninguém fica sem rendimento ou sustento nesta crise”. 

A pandemia de COVID-19 exige uma resposta imediata de mobilização de recursos para serviços públicos essenciais, sobretudo na Saúde, que mostram sinais de ruptura e desgaste.

Este OE é também tímido nesta resposta.

Apesar dos reforços orçamentais e de contratação de profissionais previstos, não estão asseguradas ainda as condições para que estes reforços aliviem de facto o esforço que hoje sofre o SNS e os seus profissionais, tanto aqueles que trabalham diretamente no combate à COVID-19 como aqueles que asseguram tudo o resto.

É fundamental garantir a permanência dos profissionais da saúde no SNS, e melhorar as suas condições de trabalho – seja em termos remuneratórios, seja em termos de sobrecarga horária.

O LIVRE manifesta ainda “uma preocupação profunda com a ausência de medidas significativas para fazer frente à emergência ecológica”. 

A crise pandémica não pode servir de pretexto para adiar o combate à emergência ecológica e o LIVRE alerta: “neste campo, não há mais tempo a perder”. 

Esta é umas áreas onde o OE se revela, uma vez mais, tímido e insuficiente para fazer face aos grandes desafios do nosso tempo.

O LIVRE considera que “a maior missão que o parlamento, nomeadamente a sua maioria de esquerda, tem em mãos neste momento é a de dotar o país de um novo modelo de desenvolvimento”.

Nesse sentido, o LIVRE tem defendido um “Green New Deal”, um Novo Pacto Verde, para fazer frente à emergência ecológica, assegurar a transição energética e criar milhares de empregos numa nova economia verde e justa.

Por tudo isto, o LIVRE assistiu estupefacto “à continuação dos sectarismos e dos taticismos à esquerda em torno do Orçamento do Estado para 2021”.

Tanto a intransigência na recusa em aceitar propostas que melhorariam este OE como a preferência por taticismos partidários, em detrimento dos interesses do país, chocam profundamente o LIVRE.

O que se viu no debate em torno deste OE dá plena razão ao posicionamento do LIVRE para esta legislatura: “deveria ter sido baseada numa negociação séria que tivesse conduzido a um acordo público e multilateral das esquerdas, que responsabilizasse os partidos e no qual o país se revisse”. 

“Da falta desse acordo é particularmente emblemático o impasse na anulação da transferência de 476 milhões de euros do Fundo de Resolução para o Novo Banco”,reclama o partido LIVRE.

“É de facto necessário conhecer os resultados da auditoria realizada pelo Tribunal de Contas se queremos assegurar a transparência e a viabilidade financeira deste tipo de medidas”, acrecentam.

Mas não tenhamos dúvidas: “a seriedade desta questão requer efectivamente compromisso político atempado e foi uma irresponsabilidade sujeitá-la à volatilidade própria da votação final em plenário”.

No entanto, temos de assinalar as melhorias que foram alcançadas na especialidade. 

O alargamento do lay-off para 100% do salário, o prolongamento do subsídio de desemprego, a taxa de carbono para viagens aéreas ou marítimo-fluviais ou a necessidade de Avaliações Ambientais Estratégicas para a mineração, nomeadamente de lítio, bem como para qualquer novo aeroporto, são avanços concretos no combate às emergências social e ecológica, que o LIVRE tinha defendido em relação à proposta inicial para este OE. 

Pese embora as críticas que temos a fazer a este Orçamento do Estado, ao processo de diálogo entre as forças parlamentares de esquerda, e tendo em conta as melhorias alcançadas na especialidade pela esquerda parlamentar, o LIVRE entende que era necessário viabilizar este OE.

Apenas desta forma o país poderá continuar a combater a pandemia com o máximo de estabilidade possível e de modo a evitar que o futuro próximo se transforme  num regresso a um passado não muito distante de austeridade e a políticas que poderão vir a agravar ainda mais as crises que já hoje vivemos. 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: