4.7 C
Castelo Branco
Sábado, Janeiro 23, 2021
No menu items!
Início Internacional Filme "Another Road" de Thomas Vinterbeg arrebata prémios do cinema europeu

Filme “Another Road” de Thomas Vinterbeg arrebata prémios do cinema europeu

O filme “Another Road”, de Thomas Vinterberg é o grande vencedor dos Prémios do Cinema Europeu, distinguido com melhor longa-metragem, realização e argumento, foi hoje anunciado, no final da cerimónia, que decorreu ´online´ este ano, devido à pandemia.

Nesta 33.ª edição dos Prémios do Cinema Europeu, “Another Road” conquistou ainda o prémio de melhor ator, para Mads Mikkelsen, enquanto o de melhor atriz foi para Paula Beer, no filme “Undine”, de Christian Petzold.

“Another Road”, que conta a história de quatro homens que ensinam jovens a beber álcool, também recebeu o prémio de melhor argumento, assinado por Thomas Vinterberg e Tobias Lindholm.

Na categoria de melhor filme, estavam também nomeados “Corpus Christi”, de Jan Komasa, “Martin Eden”, de Pietro Marcello, “The Painted Bird”, de Václav Marhoul, “Undine”, de Christian Petzold, e “Berlin Alexanderplatz”, de Burhan Qurbani, protagonizado pelo luso-guineense Welket Bungué.

“Berlin Alexanderplatz” foi distinguido com o Prémio para melhor música original.

O prémio para melhor comédia europeia foi para “The Big Hit”, de Emmanuel Courcol, enquanto “Josep”, de Aurel, foi considerado a melhor longa-metragem de animação, e a longa metragem “Collective”, de Alexander Nanau, foi escolhido como melhor documentário europeu de 2020.

O realizador dinamarquês Thomas Vinterberg disse, na cerimónia, que “foi um orgulho” receber o prémio de melhor filme, realização e argumento, num continente “que apoia muito o cinema”.

“Foi bom fazer um filme estimulante nesta época de crise”, disse ainda o realizador sobre um setor que tem sido duramente atingido, com quebras de mais de 90 por cento de público devido às restrições sanitárias.

Para receber o prémio Fipresci/Descoberta europeia no cinema foi escolhido o filme “Soli”, de Carlo Sironi.

Na cerimónia, muitos atores, atrizes, realizadores e produtores – e até a chanceler Angela Merkl – despediram-se, com mensagens enviadas em vídeo, do realizador alemão Wim Wenders, que presidiu durante mais de duas décadas à Academia Europeia de Cinema.

Nesta 33ª edição dos prémios, cujo palmarés foi faseadamente anunciado, já tinha sido anunciada a entrega, ao produtor português Luís Urbano, do prémio de coprodução Eurimages, atribuído por este fundo europeu e pela Academia Europeia de Cinema, no âmbito dos Prémios do Cinema Europeu.

Este prémio reconhece o trabalho de um produtor que “em cada ano demonstrou um grande compromisso em acolher e cooperar com produtores e talentos de todo o mundo”.

Num ano atípico por causa da pandemia da covid-19, a Academia Europeia de Cinema decidiu repartir a 33.ª edição dos Prémios Europeus de Cinema ao longo desta semana, com anúncios diários dos vencedores em sessões apenas de transmissão online.

Os filmes “Tio Tomás, a contabilidade dos dias”, de Regina Pessoa, e “Past Perfect”, de Jorge Jácome, estavam nomeados para melhor curta-metragem europeia, mas o prémio foi atribuído a Lasse Linder, por “All cats are grey in the dark”.

Na categoria de melhor longa-metragem de animação, também estava nomeado o filme “Klaus”, do realizador espanhol Sérgio Pablos e cuja equipa técnica contou com a participação dos portugueses Sérgio Martins, na direção de animação, e Edgar Martins, no departamento de argumento.

*LUSA

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: