18.3 C
Castelo Branco
Segunda-feira, Abril 19, 2021
No menu items!
Início Internacional Violência no Congresso americano: a Democracia sob ataque

Violência no Congresso americano: a Democracia sob ataque

Quando as instituições e lideranças políticas não se demarcam continuamente de fenómenos populistas, xenófobos e nacionalistas, corre-se o sério risco de se assistir ao escalar do desrespeito e da violência sobre a democracia.

O Congresso americano ratificou ontem os resultados das eleições presidenciais americanas de 2020. 

Foi o último passo necessário para selar a vitória de Joe Biden.

Às previsíveis objecções de membros Republicanos, tanto da Casa dos Representantes como do Senado, somou-se a contestação ao resultado de uma eleição democrática que atingiu proporções muito graves.

Donald Trump discursou horas antes, apelando aos seus apoiantes para que “impedissem o roubo” da eleição, alegado roubo que nunca foi provado.

Enquanto o processo de ratificação decorria no interior do Congresso, largas centenas de apoiantes do ainda presidente americano concentraram-se em frente ao Capitólio em protesto.

O motim violento que se seguiu, com a invasão do Congresso por parte de muitos dos apoiantes de Donald Trump, levou à suspensão do processo de confirmação da eleição de Joe Biden. 

Quatro pessoas morreram na sequência desta invasão à casa da Democracia americana, e as cenas de violência correram o mundo e chocaram-nos a todos.

Estas imagens são ainda mais chocantes quando o cerco ao Capitólio aconteceu perante a passividade das forças de segurança, em contraste com a atitude destas noutros protestos, como no caso das marchas Black Lives Matter.

Apenas muitas horas depois foi retomado o processo de ratificação, que foi concluído de madrugada. 

O LIVRE assistiu em choque às cenas que nos foram chegando dos Estados Unidos da América.

A violência desmedida e o desrespeito pelas instituições democráticas e pelo processo democrático são uma consequência direta do recurso ao ódio, divisionismo, racismo e xenofobia e consequente atropelo aos Direitos Humanos, à Democracia e à Liberdade. 

Quando as instituições e lideranças políticas não se demarcam desde bem cedo de fenómenos populistas, xenófobos e nacionalistas, corre-se o sério risco de acontecer em Portugal, na Europa, ou em qualquer país do mundo o que aconteceu ontem nos Estados Unidos da América. 

O LIVRE lamenta e repudia os atos de violência e atentatórios à Democracia que foram praticados ontem nos EUA, e alerta para os perigos de não enfrentar de forma firme, frontal e empenhada todos aqueles que querem minar a Democracia, e que querem chegar ao poder apenas para a destruir. 

O LIVRE manifesta a sua solidariedade com o povo dos Estados Unidos da América, que sofreu uma tentativa de assalto à sua democracia, algo impensável para muitos.

O LIVRE apela ainda à normalização democrática e a uma transição de poder que respeite a vontade popular.

Este ataque reforça a necessidade de nos batermos, enquanto sociedade, pelos valores da liberdade e da igualdade, pois só assim a Democracia pode funcionar para todos e todas.

*Foto: jornalcidade.net

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: