10 C
Castelo Branco
Quinta-feira, Abril 22, 2021
No menu items!
Início Tecnologia Bruxelas quer todas as áreas povoadas cobertas por tecnologia 5G até 2030

Bruxelas quer todas as áreas povoadas cobertas por tecnologia 5G até 2030

A Comissão Europeia quer que todas as áreas povoadas da União Europeia (UE) estejam cobertas por redes móveis de quinta geração (5G) até 2030, contra os atuais 14%, objetivo que integra a Bússola Digital da Europa, hoje divulgada.

O executivo comunitário lançou então hoje uma “Bússola Digital para traduzir em termos concretos as ambições digitais da UE até 2030” e assente em “quatro pontos cardeais”, um dos quais sobre “infraestruturas digitais seguras, eficientes e sustentáveis” e que prevê que “todas as áreas povoadas estejam cobertas por 5G”.

Em concreto, Bruxelas pretende que, até 2030, a tecnologia 5G esteja presente em todas as áreas habitadas da UE quando, atualmente, apenas chega aos 14%, segundo a instituição.

Este objetivo surge depois de a Comissão Europeia ter falhado a meta comunitária de ter esta tecnologia em pelo menos uma cidade por Estado-membro até final de 2020, já que, de acordo com o mais recente relatório do Observatório Europeu para o 5G, em dezembro passado esta tecnologia estava presente em 23 dos 27 Estados-membros da UE, mais o Reino Unido.

Da lista não constava, porém, Portugal nem Chipre, Lituânia e Malta.

A quinta geração de sistemas de telecomunicações móveis e sem fios permite ligações ultrarrápidas e a conexão de um elevado número de dispositivos.

E numa altura em que a tecnologia 5G está bastante mais desenvolvida noutros blocos mundiais (como países asiáticos ou os Estados Unidos), a estratégia digital hoje lançada visa que a UE se venha a tornar “digitalmente soberana num mundo aberto e interligado”, isto enquanto colmata “vulnerabilidades e dependências” do exterior e acelera o investimento.

Ainda na área das infraestruturas, a Bússola Digital prevê que a produção europeia de semicondutores de ponta e sustentáveis passe a representar 20% do total mundial, que todas as famílias da UE tenham conectividade ‘gigabit’ e ainda que a Europa consiga o seu primeiro computador quântico.

A qualificação dos cidadãos também é mencionada na estratégia, querendo Bruxelas que, até 2030, pelo menos 80% dos adultos obtenham competências digitais básicas, para assim elevar para 20 milhões os especialistas em tecnologias de inovação empregados na UE.

Para as empresas, o executivo comunitário estipula como metas que, também até 2030, três em cada quatro empresas utilizem serviços de computação em nuvem, de grandes dados e de inteligência artificial, que mais de 90% das pequenas e médias empresas possuam requisitos digitais e ainda que se duplique o número de empresas unicórnio (‘startups’ tecnológicas avaliadas em mais de mil milhões de dólares).

O quarto “ponto cardeal” desta Bússola Digital diz respeito à digitalização dos Estados, pretendendo a Comissão Europeia que, até 2030, todos os principais serviços públicos estejam disponíveis ‘online, que todos os cidadãos tenham acesso eletrónico aos seus registos médicos e ainda que 80% das pessoas utilizem soluções de identificação digital.

A estratégia visa, então, uma “transformação digital bem-sucedida da Europa até 2030, fundamental para se conseguir a transição para uma economia neutra em termos climáticos, circular e resistente”, argumenta a instituição.

Para atingir tais metas, Bruxelas adianta que “facilitará o rápido lançamento de projetos entre vários países, combinando investimentos do orçamento da UE, dos Estados-membros e da indústria, com base no Mecanismo de Recuperação e Resiliência e outros financiamentos da UE”.

Este mecanismo é o principal instrumento do Fundo de Recuperação criado para combater a crise da covid-19 e que obriga à alocação de pelo menos 20% das verbas de cada país à área digital.

*LUSA

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: