8.9 C
Castelo Branco
Terça-feira, Abril 20, 2021
No menu items!
Início Regional Idanha-a-Nova: Manifesto Eleitoral do Movimento Para Todos

Idanha-a-Nova: Manifesto Eleitoral do Movimento Para Todos

“Por um concelho onde todos têm voz”

A campanha eleitoral autárquica está aí.

Em outubro vamos todos ser chamados a escolher os nossos representantes para os órgãos municipais.

“Um grupo vasto de pessoas, em decisão autónoma e livre, apresentam-se a esta eleição, expostos à avaliação dos restantes concidadãos, munícipes, num ato de voluntarismo e perfeita noção de serviço público”, anuncia o Movimento Para Todos.

Apesar de todas as limitações, decorrentes da pandemia que, infelizmente, condiciona todos nós, cumprindo sempre todas as regras e recomendações das autoridades de saúde, resolveram deitar mãos à obra e colocar-se ao serviço do concelho.

O propósito desta equipa não se esgota na simples vontade de participar ativamente, numa nova organização da gestão do concelho de Idanha a Nova, nem no simples ato da eleição.

A decisão de candidatura vai muito além do objetivo de visibilidade e sustenta-se numa reconhecida perseverança e capacidade de formulação e de visão estratégica para o futuro do nosso concelho, onde são as pessoas que mais contam, em plena conjugação com o território e o ambiente.

O grupo de cidadãos, que vai apresentar-se a escrutínio, é composto por pessoas, de vários quadrantes, assumindo-se com atitude, capacidade e competências múltiplas, assentes numa ambição conjunta e experiência de vida, capaz de dar uma nova esperança aos nossos munícipes e de inverter o caminho em que o concelho se encontra.

José Gameiro

A política, por si só, tem a sua nobreza, mas tem que ter respeito, ambição e envolvimento coletivo, para produzir efeitos abrangentes e ser o motor do desenvolvimento.

“Estamos convictos de que é necessário devolver às gentes do concelho a capacidade de intervir, opinar e participar, de forma livre e sem receios de juízos de valor ou com medos escondidos”, lê-se no manifesto chegado à nossa redação.

“A conduta que nos move é aquela que nos caracteriza a todos e a cada um nas nossas vidas pessoais e profissionais. Não está, por essa razão, nos nossos planos ou horizontes, utilizar o espaço de campanha para fazer ataques pessoais ou críticas desnecessárias”, acrescenta o mesmo documento.

“Aquilo que nos move é um projeto pela positiva onde cabem apenas as ideias para levar o concelho por diante. Vimos e estamos aqui para construir. Jamais optaremos por outro caminho”, asseguram os signatários.

“Sabemos a importância que hoje têm as Câmaras Municipais e Juntas de Freguesia, no que concerne à capacidade de desenvolvimento social e económico dos territórios”, acrescentam.

“É preciso apostar na melhoria das infraestruturas, no investimento público e na capacidade de mobilização do investimento privado. Só dessa forma o nosso concelho poderá criar postos de trabalho, gerar riqueza e promover a tão importante atratividade, para a fixação de pessoas, que são a alma de qualquer território.

Sem pessoas e capacidade produtiva empresarial, nenhum concelho, sobretudo do interior, constrói índices de crescimento sustentável.

Na base de qualquer projeto, tal como o que esta equipa se propõe construir, tem que estar a experiência, a exigência, o rigor e o envolvimento de todos os nossos munícipes, por forma a alcançarmos uma política diferenciadora.

E construir uma política diferenciadora é ter ideias sólidas, não ter medo dos interesses instalados e ter capacidade e rosto, para aceitar as críticas e as ideias inovadoras.

Esse deverá ser o papel e o propósito de um Presidente de Câmara, de Junta de Freguesia ou de qualquer outro órgão autárquico”, asseguram.

“Por tudo o que foi dito e o que doravante se seguirá, somos confrontados com duas realidades:

Continuamos com a situação atual ou apostamos numa nova equipa, de pessoas determinadas em dar o máximo de si próprias, em prol de um concelho que importa alavancar social e economicamente;

Esta é uma equipa marcada pelos valores democráticos, integradora das pessoas válidas e determinadas, detentoras de vontade de querer fazer, mesmo que no seu dia-a-dia, se comprometam com forças políticas ou sociais diversas.

Nestas eleições autárquicas, que estão prestes a chegar, temos todos a obrigação de olhar para o futuro e construir a diferença, com determinação.

É neste Movimento para Todos, que tem por lema “Por um concelho onde todos têm voz”, que queremos materializar, com as freguesias e sede de concelho, o acolhimento das pessoas empolgadas na vontade determinada de mudar.

É agora que se inicia um movimento, que possibilitará a mudança, para os próximos quatro anos.

Vamos vencer, vamos mudar… a nossa vitória será a vitória de todos!”, finaliza o mesmo documento.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: