24.4 C
Castelo Branco
Segunda-feira, Setembro 27, 2021
No menu items!
InícioNacionalDia Internacional da Terra: a nossa luta comum

Dia Internacional da Terra: a nossa luta comum

A salvaguarda da vida na Terra, os planos e as metas que definimos não podem deixar de ter em conta o papel da geodiversidade.

O LIVRE foi o primeiro partido em Portugal, e até ao momento o único, a defender a necessidade de considerar a geodiversidade no equilíbrio dos ecossistemas e no caminho que devemos percorrer para um futuro verdadeiramente sustentável em termos ecológicos.

Geodiversidade é a variedade de elementos não vivos da natureza que inclui rochas, minerais, fósseis, formas de relevo, solos e processos que lhes dão origem.

Ao celebrarmos hoje o Dia Internacional da Terra, impõe-se reconhecer o papel da geodiversidade enquanto componente essencial dos ecossistemas, na obtenção e preservação da água, na prevenção de riscos naturais, na obtenção dos materiais geológicos que permitem a sobrevivência humana e destacar, em particular, a sua importância na conservação do património natural comum.

Hoje, em particular, o LIVRE reafirma a sua natureza universalista e os seus compromissos com o planeta e com as próximas gerações.

O nosso planeta está a atravessar um período muito difícil, marcado já pelo colapso de ecossistemas vitais.

A mudança climática deste último século prossegue a um ritmo alarmante, causador de instabilidade.

O atual período de extinção em massa, causado em grande parte pela atividade humana, coloca em risco a própria existência da Humanidade. 

A presidência portuguesa do Conselho da União Europeia e o Parlamento Europeu chegaram ontem, dia 21 de abril, a um acordo provisório sobre a redução de emissões de gases com efeito de estufa.

O acordo prevê uma diminuição de 55% até 2030, o que é ainda insuficiente para responder à crise com que nos deparamos.

Com a agravante de que essa meta é definida em termos líquidos, ou seja, entre o nível de emissões e o nível de remoções.

O LIVRE defende um maior compromisso europeu na defesa do nosso planeta, com uma meta absoluta de pelo menos de 60% de redução de emissões de gases com efeito de estufa até 2030.

E é necessário que a definição de uma meta à altura da crise ecológica que vivemos seja acompanhada de vontade e meios que permitam cumprir essa meta.

O LIVRE reforça a necessidade de implementar um verdadeiro Green New Deal – Novo Pacto Verde – que responda à profunda crise ecológica  e crie milhares de empregos na economia verde.

“No LIVRE, sabemos que só é possível uma sociedade mais justa, igual e livre se as políticas ecológicas que defendemos contemplarem também a geodiversidade nas suas múltiplas vertentes.”, refere o partido.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: