23.3 C
Castelo Branco
Sexta-feira, Maio 7, 2021
No menu items!
InícioRegionalUSCB/CGTP-IN saúda reabertura da Linha da Beira Baixa entre a Covilhã e...

USCB/CGTP-IN saúda reabertura da Linha da Beira Baixa entre a Covilhã e a Guarda

Está anunciado que a cerimónia de inauguração do troço da Linha da Beira Baixa entre a Guarda e a Covilhã, está prevista para 4 de Maio, na presença do ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, e do primeiro-ministro, António Costa (este a confirmar).

“Como é óbvio a Direcção da USCB/CGTP-IN saúda esta reabertura da linha da Beira Baixa, da Covilhã à Guarda e vice-versa, até porque ela corresponde a uma exigência de mais de uma década, pois este troço foi encerrado em 2009, apenas lamentando o tempo que se perdeu com indefinições e atrasos nas obras de requalificação da linha e que originaram prejuízos económicos, sociais e ambientais.”, lê-se em nota desta estrutura sindical.

Recorde-se que a USCB/CGTP-IN, desde o seu primeiro congresso realizado em 1991 e depois nos sucessivos congressos e na proposta de OID para o Distrito de Castelo Branco, nas propostas de  Plano de Emergência e de Plano de Desenvolvimento e Progresso e mais recentemente nas propostas entregues aos Grupos Parlamentares e ao Governo, sempre colocou a requalificação, modernização e rentabilização da linha da Beira Baixa até à Guarda como uma questão estratégica para o desenvolvimento integrado do Interior do País e para a facilitação da ligação do Distrito de Castelo Branco ao Litoral Norte e à Europa, via Vilar Formoso e Espanha.

Ainda recentemente, face aos inaceitáveis atrasos nas obras da linha da Beira Baixa, voltou a exigir a requalificação e eletrificação integral da via-férrea entre a Covilhã e a Guarda, adequando os horários e garantindo a via ferroviária internacional e a reposição do comboio intercidades Guarda- Lisboa- Guarda (via Castelo Branco) e a ligação por intercidades entre a Covilhã e Coimbra, ligação que, lemos, tem o apoio e também é exigida pelo Município da Covilhã.

Entretanto, importa agora avançar com a implementação de ligações ferroviárias regulares e a preços acessíveis entre Guarda-Belmonte-Covilhã-Fundão-Castelo Branco, com horários adequados às necessidades de mobilidade profissional e de outras, o que pressupõe a criação de uma rede de transportes de passageiros, combinando o transporte rodoviário com a linha ferroviária da Beira Baixa, para assegurar uma efectiva mobilidade Intra distrito e na Beira Interior.

Como é evidente o avanço e o necessário incremento da utilização do transporte ferroviário não pode servir de pretexto para travar a inevitável reposição das SCUTs na A23 e na A25 ainda na presente legislatura, sendo que o primeiro passo é concretizar o desconto de 50% no preço das portagens nestas vias a partir de 1 de Julho de 2021, inclusive.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: