24.4 C
Castelo Branco
Quarta-feira, Setembro 22, 2021
No menu items!
InícioCulturaNovo livro de poesia de Gonçalo Salvado ilustrado com desenhos do escultor...

Novo livro de poesia de Gonçalo Salvado ilustrado com desenhos do escultor Francisco Simões

UMA HOMENAGEM À ARTE DE AMAR DO POETA LATINO OVÍDIO

Com o título em latim Feliciter Ardet (Arde com felicidade) Novos Poemas do Amor e do Vinho vai ser publicado o livro de Gonçalo Salvado numa colaboração da Editora Lumen com a Livraria Sá da CostaEditora de Lisboa, em parceria com a Quinta dos Termos.

O livro insere-se numa coleção de poesia, única no panorama editorial português, dirigida por Gonçalo Salvado, cujas obras surgem em original formato livro/garrafa, numa união que pretende materializar a relação simbólica e milenar entre o vinho e a poesia. O editor é Ricardo Paulouro.

O livro que reúne poemas inéditos de Gonçalo Salvado com o tema do vinho no contexto amoroso reproduz no título um verso do poeta latino Ovídio (43 a.C. – c. 18 d.C.), e pretende homenagear a obra mais emblemática deste poeta, a Arte de Amar, uma das mais célebres da poesia ocidental, que imortalizou o autor como “pedagogo do amor”.

Gonçalo Salvado

Lembremos que nesta obra, o vinho é um elemento recorrente e é visto por Ovídio como um dos auxiliares do amor. Não poucas vezes o poeta romano refere as suas virtudes e as enormes potencialidades que tem no processo de sedução e no amor. Para Ovídio, “O vinho põe o coração a jeito e torna-o pronto para a fogueira.” Baco, o deus do vinho, “ajuda os amantes e alimenta o fogo em que ele próprio se inflama”. E a junção do amor com o vinho é descrita expressivamente por Ovidio: “Vénus no vinho é fogo no fogo”. Este verso, em epígrafe, abre o novo livro de Gonçalo Salvado.

De referir que, para diversos estudiosos, Ovídio pode ser considerado um precursor da igualdade entre os sexos, é o único dos poetas latinos a reservar à mulher um papel de alguma dignidade e a privilegiar o seu estatuto no que concerne à sexualidade e à união amorosa, numa época em que era tradicionalmente secundarizada.

O livro de Gonçalo Salvado é ilustrado com desenhos inéditos do escultor Francisco Simões, um dos mais emblemáticos representantes do sensualismo erótico em arte em Portugal, e artista com o qual o poeta já colaborou noutras publicações como  no caso do seu livro de poesia Denudata (2018), que contou igualmente com ilustrações do escultor.

Lembremos que esta obra foi galardoada com o Prémio de Poesia Álvares de Azevedo da União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro, em 2020.

O livro inclui ainda um texto de abertura de Maria João Fernandes.

A apresentação do livro Feliciter Ardet (Arde com felicidade) Novos Poemas do Amor e do Vinho, ocorrerá no contexto da comemoração dos 20 anos da Quinta dos Termos, tendo sida esta edição concebida para assinalar este aniversário.

De lembrar que não é a primeira vez que Gonçalo Salvado homenageia Ovídio e a sua renomada Arte de Amar.

Em 1999, G.S. publicou a transcriação/antologia: Camões Amor Somente. A obra é uma tentativa de construção de um Cântico dos Cânticos e de uma Arte de Amar em língua portuguesa a partir de fragmentos da lírica, da épica e da dramaturgia camonianas. Por outro lado, o autor pretendeu reconstituir a atmosfera e o conteúdo do Parnaso de Luís de Camões, obra perdida pelo poeta em Moçambique que, segundo Diogo do Couto, lhe terá sido furtada e que reuniria todas as poesias líricas de Camões.

Acerca desta obra, apresentada na Embaixada de Espanha em Lisboa, pronunciou-se o Professor Justino Mendes de Almeida, reconhecido estudioso de Camões: “A mais bela, original e criativa antologia de Camões que me foi dada a ler”.

Capa do livro

De referir também que está prevista para breve, em relação como tema do amor e com a cultura latina de que Ovídio é um expoente, a concretização de um outro projeto interdisciplinar de Gonçalo Salvado e de Maria João Fernandes: “A Imortalidade do Amor, Os Amantes de Pompeia – Contributo para a Fixação de um Novo Mito Amoroso”.

Projeto que engloba uma antologia poética, com organização de Gonçalo Salvado e uma exposição coletiva de escultura, pintura e gravura comissariada por Maria João Fernandes.

A mostra partiu da ideia de uma antologia, da autoria de Gonçalo Salvado, de poemas inspirados nos “Amantes de Pompeia”, a primeira a nível mundial e inclui colaborações de reconhecidos poetas portugueses e estrangeiros e conta com um prefácio do conceituado ensaísta, crítico literário e poeta português Fernando Guimarães e com textos de abertura de Gonçalo Salvado e Maria João Fernandes. A antologia será editada igualmente pela editora Lumen em formato de livro convencional.

O projeto sobre os “Amantes de Pompeia”, deverá equacionar o triunfo do amor sobre a morte, sobre o tempo e sobre todas as vicissitudes que ameaçam o destino humano. Um tema muito atual atendendo ao momento civilizacional que vivemos.

Lembremos ainda que o vinho num contexto amoroso é por sua vez o tema do livro Rubá’iyat Poemas do Amor e do Vinho, primeira recolha antológica de poemas de Gonçalo Salvado, ilustrada com desenhos do escultor José Rodrigues, publicada por esta mesma editora e com o mesmo formato (2017) em homenagem ao Rubá’iyat do poeta persa do séc. XI Omar Kayyam – obra cume da poesia universal, uma das que mais enaltece o vinho.

Esta antologia com poemas de Gonçalo Salvado constituiu na altura o primeiro livro/garrafa editado em Portugal.

 

 

 

 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: