7.6 C
Castelo Branco
Terça-feira, Janeiro 18, 2022
No menu items!
InícioRegionalSem Rotas na Raia dedicou passeio à tradição dos Madeiros

Sem Rotas na Raia dedicou passeio à tradição dos Madeiros

Organização motociclista

Sem Rotas na Raia, organização motociclista de habitantes, trabalhadores e amigos do concelho de Idanha-a-Nova e Penamacor, realizou mais um passeio de motos, desta vez dedicado à tradição ancestral dos Madeiros.

A organização realizou no dia 8 de dezembro um circuito com vista a proporcionar aos participantes uma experiência cultural dedicada aos Madeiros de algumas freguesias de Penamacor e de Idanha-a-Nova.

O percurso iniciou em Aldeia do Bispo,onde os participantes assistiram à colocação do Madeiro junto à Igreja Matriz e perceberam que a tradição implica que os jovens de 19 anos se reúnam com os maquinistas e tratoristas da terra para arrancarem as sobreiras, oferecidas pela população.

Os tratores são carregados ao longo do dia 7 de dezembro, juntando-se toda a aldeia para comer e beber e acima de tudo conviver, aquecidos por uma fogueira.

Na madrugada de dia 8, esses mesmos“jovens do ano” vão “roubar” laranjas para, após a missa da manhã, os tratores arrancarem em direção à Igreja, levando no primeiro trator os jovens desse ano.

Já perto da Igreja, os jovens oferecem laranjas e rebuçados às pessoas e um ramo ao Sr. Padre, em troca do pequeno-almoço.

Na Senhora do Incenso, em Penamacor, os jovens de 20 anos informaram que a tradição também implica o convívio na noite de dia 7 de dezembro, com o arranque dos madeiros, desfilando-se no dia 8 de manhã até ao largo da Igreja Matriz onde é descarregado e empilhado o Madeiro.

Em Medelim os participantes no passeio foram recebidos pela Presidente da Junta de Freguesia e pelo Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova junto à belíssima Árvore de Natal feita de croché que envolveu toda a população.

Próximo do local onde noutros tempos era retirado o Madeiro foram informados que a tradição implicava que os jovens que iam à inspeção arrancassem o Madeiro na noite de 7 de dezembro com pás e picaretas e o tombassem com recurso a cordas.

O desfile do Madeiro parava nos estabelecimentos da aldeia, para uma bebida, no seu caminho em direção ao adro da Igreja, acompanhados por um acordeonista.

Na chegada à Igreja os sinos tocam e dão os vivas.

Zebreira tem uma tradição diferente. Solteiros e casados juntam-se na noite de 7 para 8 de dezembro e arrancam o Madeiro.

É carregado em dois tratores diferentes, um simbolizando os casados e o outro, com o maior Madeiro, simbolizando os solteiros.

O Madeiro é descarregado à mão. A estes dois tratores juntam-se, posteriormente, três outros tratores para venda de madeira em leilão.

O resultado financeiro do leilão é usado para fazer jus às despesas do Madeiro.

O grupo de motociclistas deslocou-se ainda para a vila de Idanha-a-Nova, passando pelo Madeiro da Sra. da Graça, tendo sido recebidos pelos pequenos festeiros da Festa.

Já em Idanha-a-Nova saboreou-se uma fabulosa Miga de Peixe na Casa do Benfica de Idanha-a-Nova.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: