21.7 C
Castelo Branco
Segunda-feira, Setembro 26, 2022
No menu items!
InícioCulturaPrograma de intervenção artística internacional foi apresentado em Oleiros

Programa de intervenção artística internacional foi apresentado em Oleiros

No passado dia 24 de novembro, o concelho de Oleiros acolheu a apresentação pública do programa FÔLEGO, o qual integra 5 grandes ações e se move, através da expressão artística, pelo combate às alterações climáticas.

Este decorrerá até ao verão de 2023, nos concelhos de Mação, Oleiros, Proença-a-Nova, Sertã e Vila de Rei e traduz-se numa missão cultural e ambiental, tendo como foco a sustentabilidade. Trata-se de um programa interventivo que se servirá das artes para aproximar e respirar melhores tempos.

O espaço Olhar o Zêzere, na Aldeia do Xisto de Álvaro, reuniu todos os parceiros e demais entidades envolvidas, nacionais e estrangeiras, de entre vários domínios artísticos e científicos.

Estas irão trabalhar a problemática do clima em várias frentes, ao mesmo tempo que pretendem sensibilizar e envolver a comunidade em ações concretas no âmbito de uma coletiva tomada de consciência e mudança de atitude.

Os autarcas presentes na sessão saudaram a iniciativa, a qual entendem como um novo fôlego para o território.

Miguel Marques, vice-presidente da Câmara Municipal de Oleiros, realçou a importância e o desafio de criar entendimentos em torno desta temática.

Na ocasião frisou ainda que, “sendo a cultura um veículo transversal, é importante esta interligação da população e da cultura com os artistas locais e os que vierem de fora, para que todos possam ampliar os seus conhecimentos. Isso só irá engrandecer o território”.

Após a apresentação, teve lugar uma degustação com iguarias tradicionais de tão mui nobre villa, à qual se seguiu uma visita ao projeto turístico Floating Álvaro que prima pela sustentabilidade ambiental.

O contacto com o geomonumento Meandros do Zêzere, classificado pela UNESCO e com a Aldeia do Xisto de Álvaro, através da Loja da Aldeia e do seu espólio religioso e edificado, permitiu que a comitiva conhecesse o imenso património natural e cultural que encerra, ao mesmo tempo que pode verificar in loco o impacto que o incêndio de 2017 lhe trouxe.

Depois do almoço, o grupo partiu à descoberta do mais famoso percurso pedestre do mundo, situado em pleno concelho de Oleiros.

No Trilho Internacional dos Apalaches, apreciaram em particular o bosque relíquia da floresta Laurissilva e a notável presença de azereiro, a espécie que terá dado nome ao rio Zêzere.

Após uma visita ao Centro de Artes Manuais de Orvalho, contactando com a arte da filigrana do artista Jorge Marquez e a tradição do linho, a comitiva seguiu para o Miradouro do Mosqueiro.

À chegada ao local, os Bombos do GAIO proporcionaram uma memorável receção, com direito a castanhas assadas e jeropiga, num “tardio” e inesquecível sunset que encantou todos os presentes e os islandeses e noruegueses, em particular.

No regresso, houve ainda lugar para uma visita à Loja dos Passadiços do Orvalho.

Já no Hotel, o grupo visualizou o premiado filme promocional “Oleiros de beleza rara” – com locução em inglês – e assistiu à apresentação “Resilience facing megafires and climate change in Naturtejo UNESCO Global Geopark”, a cargo da geóloga Joana de Castro Rodrigues, a qual cativou todos os presentes durante a jornada e que – de uma forma brilhante – abordou a temática das alterações climáticas e o seu impacto no território, evidenciado pelos incêndios florestais.

Ainda dentro da temática do fogo, proporcionou-se a visualização do documentário “História Secreta da Aviação”, da autoria do realizador João Manso, o qual integrava o grupo.

O mote estava lançado e foram também criadas as condições ideais para uma reflexão por parte de todos em torno da problemática e da missão cultural e ambiental que agora abraçam.

Recorde-se que o programa “Fôlego” é promovido pela Academia de Produtores Culturais, em parceria com Mapa das Ideias, H2Dance (Noruega), Universidade da Islândia, Associação Pinhal Maior e os cinco municípios que a integram.

Este foi selecionado para financiamento no quadro EEA Grants, Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu e o seu plano de ação privilegia um esforço coordenado entre várias instituições locais, nacionais e internacionais, de caráter governamental e não-governamental, cujos interlocutores ficaram agora a conhecer-se e juntos irão apoiar a realização de 5 grandes ações: “Ice & Fire”, “Migrantes Climáticos”, “Planta Party”, “Vilas Mutantes” e “H2Dance”.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: