13.9 C
Castelo Branco
Quarta-feira, Setembro 28, 2022
No menu items!
InícioCulturaEugénio de Andrade e Miguel Torga na Biblioteca do Fundão

Eugénio de Andrade e Miguel Torga na Biblioteca do Fundão

19 de janeiro, quarta-feira, às 14.30 horas

Para assinalar os 99 anos do nascimento de Eugénio de Andrade, a Alma Azul e a Biblioteca Municipal do Fundão realizam no próximo dia 19, quarta-feira, às 14.30 horas, uma sessão dedicada ao autor de “Escrita da Terra” e a Miguel Torga, falecido a 17 de janeiro de 1995, em Coimbra; amigo do poeta Eugénio de Andrade, de Póvoa de Atalaia, onde nasceu a 19 de janeiro de 1923.

Eugenio de Andrade – Fotografia da Revista na Biblos

Os dois autores conviveram nos anos quarenta do século vinte na cidade de Coimbra.

A sessão contará com a Leitura de poemas, mas também de fragmentos de prosa onde Eugénio de Andrade fala da amizade com Torga, uma relação cheia de deferência e delicadeza, bem expressa nos textos “Camilo Pessanha, O Mestre” e “Excessivo é ser jovem” que integram a Conversa Aberta sobre a vida e a obra dos dois autores.

Miguel Torga seguirá o caminho da prosa e do Diário a par da poesia; Eugénio de Andrade será poeta; um dos maiores da Língua Portuguesa, traduzido em dezenas de outras línguas por todo o mundo; dando à Língua Portuguesa o estatuto de uma língua incontornavelmente poética.

Recordamos que o mês de janeiro tem, anualmente, na Alma Azul, um lugar reservado para a Poesia de Eugénio de Andrade e para os Contos da Montanha de Miguel Torga; autor que soube transcrever para a Literatura o Interior denso e rude de Trás-os-Montes (com afinidades à Beira serra) nesses anos de fome e de abandono, em pleno século vinte, em que as comunidades se organizavam como podiam; tendo como aliados a natureza forte e rija do granito e o lume.

Miguel Torga – Foto: Pascal Moreaux

Em Eugénio de Andrade, a Beira terá mais sol e mais abundância de frutos, no verão; mas as mulheres de preto a marcar a perda e o inverno de chuva intensa com a casa a servir de refúgio; será matéria de uma melancolia que acompanhará para sempre o poeta de Póvoa de Atalaia que, em vésperas do centenário do seu nascimento, a Alma Azul recorda na Biblioteca do Fundão que o tem como patrono.

A dinamização da Conversa e das Leituras está a cargo de Elsa Ligeiro, editora e produtora cultural.

 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: