15.5 C
Castelo Branco
Domingo, Maio 29, 2022
No menu items!
InícioNacionalNavigator alcança 3º lugar em ranking mundial da sustentabilidade

Navigator alcança 3º lugar em ranking mundial da sustentabilidade

Empresa mantém-se na categoria low risk do ESG Risk Rating 2021 da Sustainalytics

A The Navigator Company obteve uma pontuação de 14,3 no Environmental Social and Governance Risk Rating referente a 2021, voltando a posicionar-se entre as melhores empresas do mundo em matéria de sustentabilidade, sendo esta a melhor classificação obtida desde que começou a integrar as avaliações da Sustainalytics.

Com esta classificação, a Empresa mantém-se na categoria “Low Risk”, significando que apresenta um baixo risco para investidores, e ocupa o terceiro lugar, tanto no ranking das empresas do grupo de indústrias do “Papel e Floresta” – num total de 81 empresas globais que fazem parte deste cluster –, como no do subgrupo “Papel e Pasta”, num total de 60 empresas a nível mundial.

Os ESG Risk Ratings da Sustainalytics medem a performance em Sustentabilidade de uma empresa e, para tal, avaliam a exposição aos riscos materiais ESG, relacionados com fatores ambientais, sociais e de governo societário, bem como a forma como a Empresa faz a sua gestão.

Já em 2020, a The Navigator Company viu os seus esforços de redução de impacto ambiental e social serem reconhecidos, colocando-se entre as melhores empresas do mundo em sustentabilidade avaliadas pelo ESG Risk Rating e tendo sido, também aí, classificada como “Empresa de Baixo Risco ESG” para investidores.

A avaliação e o bom posicionamento da The Navigator Company neste ranking são dados relevantes que espelham o trabalho contínuo levado a cabo pela empresa, no sentido de integrar a sustentabilidade como prioridade no seu modelo de negócio, demonstrando a sua capacidade de antecipar e gerir os riscos ESG na condução das suas atividades.

Prova do empenho da The Navigator Company em levar a cabo uma estratégia alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, é o facto de ter sido a primeira empresa portuguesa – e, também, uma das primeiras a nível mundial – a assumir o compromisso de antecipar em 15 anos, face aos objetivos nacionais e europeus, a neutralidade carbónica dos seus complexos industriais, o que lhe permitirá ter, até 2035, todas as unidades fabris neutras em emissões de carbono.

 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: