21.1 C
Castelo Branco
Sábado, Maio 21, 2022
No menu items!
InícioCulturaOppidana Festival de Tunas da Guarda regressa ao TMG a 18 e...

Oppidana Festival de Tunas da Guarda regressa ao TMG a 18 e 19 de março

Vão juntar-se à Copituna d’Oppidana tunas académicas do Porto, Guimarães, Castelo Branco e Covilhã. “Vai ser ótimo voltar ao festival depois de dois anos”, afirma o presidente da Copituna, João Seco. “Será uma boa altura para afirmar a solidariedade com os estudantes ucranianos”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG.

Serão cinco as tunas académicas que irão participar no XIX OPPIDANA Festival de Tunas Cidade da Guarda 2022, no Teatro Municipal da Guarda, durante os dias 18 e 19 de março.

A abertura do festival estará a cargo da Copituna d’Oppidana –a tuna do Instituto Politécnico da Guarda – à qual se seguirão as atuações, perante um júri independente, das quatro tunas em concurso: Estudantina de Castelo Branco, Tuna Académica da Universidade Lusíada do Porto, Tuna Mus – Tuna Médica da UBI e Afonsina, a Tuna de Engenharia da Universidade do Minho.

“Vai ser ótimo para a Copituna d’Oppidana voltar a receber na Guarda outras tunas depois de dois anos de interrupção do festival devido à pandemia da Covid’19”, afirma João Seco, presidente da tuna académica do Politécnico da Guarda.

Tuna

“Durante os confinamentos as atuações pararam por completo, apenas mantivemos os ensaios online, realizados em regra uma vez por semana”.

Os ensaios presenciais regressaram no início deste ano letivo 2021/2022, tendo a primeira atuação sido realizada no final de Outubro.

“Saíram dez colegas que acabaram os seus cursos e entraram 15 caloiros e candidatos”, contabiliza João Seco. “Neste momento a Copituna d’Oppidana tem 45 membros ativos e muita capacidade para fazer boas atuações e apresentar bons espetáculos”.

O presidente do Instituto Politécnico da Guarda, Joaquim Brigas, afirma estar a aguardar com expectativa o regresso da tuna do IPG aos espetáculos e às competição com as suas congéneres em outros festivais.

São sete os prémios que irão ser atribuídos pelo júri constituído por músicos, professores e antigos tunos.

Há os prémios “Melhor Pandeireta”, “Melhor Estandarte”, “Melhor Serenata” e “Melhor Solista”.

Há também o prémio “Tuna Mais Tuna” e o prémio “Melhor Original”.

O galardão que premeia a tuna vencedora do festival é o “Prémio D’Oppidana”.

Joaquim Brigas recorda que o Politécnico da Guarda manifestou recentemente disponibilidade para integrar nos seus cursos refugiados ucranianos que sejam estudantes, professores ou investigadores do ensino superior.

“Este XIX OPPIDANA Festival de Tunas Cidade da Guarda será uma boa ocasião para toda a comunidade académica do IPG, e as tunas que nos visitam, afirmarem bem alto a sua solidariedade com o povo ucraniano e o seu desejo de paz e de liberdade em todas as geografias”, afirma o presidente do Politécnico da Guarda.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: