11.1 C
Castelo Branco
Terça-feira, Maio 24, 2022
No menu items!
InícioRegionalCentro Nacional de Cibersegurança escolhe Politécnico da Guarda para ações de formação

Centro Nacional de Cibersegurança escolhe Politécnico da Guarda para ações de formação

O Politécnico da Guarda acolheu esta semana o “Road show Nacional 2022” do Centro Nacional de Cibersegurança que sensibiliza para as medidas do regime jurídico da segurança do ciberespaço. A iniciativa contou com responsáveis pela segurança digital de autarquias, de hospitais e de empresas privadas.

O Centro Nacional de Cibersegurança – CNCS escolheu o Instituto Politécnico da Guarda – IPG para realizar ações de sensibilização sobre a segurança informática na Guarda, dirigida aos membros da administração pública, operadores de infraestruturas críticas, operadores de serviços essenciais e prestadores de serviços digitais.

Estiveram presentes nas sessões no IPG – nos dias 28 e 29 de março –vários responsáveis pela segurança digital de autarquias, de hospitais e de empresas privadas.

Durante as sessões foi realizado um enquadramento do regime jurídico da segurança do ciberespaço e indicadas as obrigações das entidades, como a escolha de um contacto permanente, de um responsável de segurança, definição de um plano de segurança e de inventário de ativos, análise dos riscos e implementação dos requisitos de segurança.

Durante a sessão

“Numa altura em que a cibersegurança é uma das maiores preocupações das organizações, é importante que os quadros das instituições da região conheçam as estratégias do CNCS para elevar o nível de segurança digital”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG.

“O Politécnico da Guarda tem feito uma grande aposta da área da segurança informática e na formação de quadros especializados: fomos primeira instituição de ensino superior do país a lançar um curso na área da cibersegurança”.

Segundo Pedro Pinto, responsável pela cibersegurança do IPG, “a sensibilização é uma das mais importantes armas no combate às ameaças digitais. A cibersegurança ganhou grande importância devido aos poderosos ataques que afetaram este ano várias entidades e empresas em Portugal. Nesse sentido, é fundamental ter bem definidas e implementas todas as obrigações do Decreto-Lei n.º 65/2021”.

O CNCS tem por missão contribuir para que cidadãos e empresas usem o ciberespaço de uma forma livre, confiável e segura.

Nesse sentido, está a realizar um Roadshow Nacional 2022 que capacita instituições de ensino e culturais de todo o país para que cumpram o regime jurídico da segurança do ciberespaço e a regulamentação referida no Decreto-Lei n.º 65/2021 de 30 de julho.

António Rio Costa, consultor do departamento de Desenvolvimento e Inovação do CNCS, referiu que o Roadshow Nacional constitui uma oportunidade de aproximação do CNCS com as entidades locais e regionais, aproveitando a iniciativa para dar conta de que o presente regime jurídico do ciberespaço, mais que um instrumento legal, deve ser uma oportunidade para o caminho da maturidade das organizações na área de Cibersegurança.

Este tema é realçado durante as várias sessões do Roadshow Nacional, que se iniciou a meio de fevereiro e terminará em abril nas regiões autónomas após ter percorrido todo país.

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: