10.8 C
Castelo Branco
Quinta-feira, Maio 26, 2022
No menu items!
InícioNacionalRendas sobem + 7% em Março em comparação com o mesmo mês...

Rendas sobem + 7% em Março em comparação com o mesmo mês do ano passado

Barómetro Imovirtual

As rendas continuam a aumentar. O valor médio de arrendamento fixou-se, em março, nos 1.070€, com uma subida face a fevereiro e a março do ano passado. Este valor é mais elevado do que o valor registado em todos os meses anteriores até ao momento em  2022 e ao longo de 2021.

Beja e Bragança foram os distritos a registar maior aumento da renda em março face a fevereiro. Portalegre e Guarda, os dois distritos com a renda mais barata, voltam a registar quebras do valor médio a pagar.

Principais conclusões:

ARRENDAMENTO

  • O valor das rendas subiu ligeiramente em março (+1,9%) em relação a fevereiro, o que significa um aumento do valor médio de 1.050€ para 1.070€. No que diz respeito ao mesmo mês do ano anterior, quando a renda média se fixava em 1.004 €, há um aumento de +6,6%.

Distritos em destaque:

  • Beja volta a ser, em março, o distrito com maior aumento do preço médio de renda (+23,1%) face a fevereiro, subindo de 510€ para 628€. Segue-se de novo Bragança (+16,1%), onde o valor médio da renda passou de 415€ para 482€.
  • Portalegre(338€) e Guarda(411€), os dois distritos com as rendas mais baratas, voltam a registar as quebras mais significativas da renda média face ao mês anterior, de -10,6% e -6,2%, respetivamente.  
  • Em comparação com o período homólogo de 2021, o maior aumento das rendas médias anunciadas verifica-se em Évora (+29,2%), onde o valor passa de 503€ para 650€, além de Bragança (+26,7%) e Beja (+23,1€).
  • Guarda é também o distrito com maior quebra do valor médio de renda face ao mesmo mês do ano anterior (-3,2%), com a renda a passar de 425€ para 411€.

VENDA

  • O preço médio de venda anunciado em março de 2022 manteve-se estável (+1%) em relação a fevereiro, fixando-se nos 380.558€, em comparação com 376.933€ no mês anterior. Ainda assim, o valor é mais elevado que todos os meses de 2021. Comparativamente com o período homólogo do ano anterior, quando o valor era de 353.731€, há um aumento de +7,6% do preço de venda dos imóveis.

Distritos em destaque:

  • Setúbal é o distrito com maior aumento do preço médio de venda em março (+2,3%) e o preço a fixar-se nos 341.234€. Seguem-se Faro, com um crescimento de +2% e o preço médio a fixar-se nos 521.080€ (o segundo distrito mais caro depois de Lisboa), bem como Braga, com um crescimento de +1,9% e o valor a fixar-se nos 262.220€.
  • Portalegre, que teve a maior quebra de preço em janeiro e o maior aumento em Fevereiro, volta a ter o maior decréscimo do valor médio em março (-3,4%), baixando de 128.545€ para 124.180€.
  • Em comparação com o período homólogo de 2021, volta a ser Évorao distrito com maior aumento do preço médio de venda em março (+25,5%), que sobe de 206.323€ para 258.836€ este ano. As regiões onde também aumentou o preço médio de forma significativa foram Setúbal (+21,2%) e Região Autónoma da Madeira (+19,5%).
  • Guarda foi o distrito mais barato para comprar casa em março de 2022. É, pela décima vez consecutiva, o distrito com a maior quebra do valor médio relativamente ao período homólogo do ano passado (-6,3%), passando de 118.263€ em março de 2021 para 110.868€ em março de 2022.

O Imovirtual, Portal imobiliário de referência, acaba de divulgar um estudo, baseado em dados disponíveis na plataforma, no qual analisa a evolução dos preços médios anunciados de venda e arrendamento em Portugal. Os dados agora partilhados referem-se ao comparativo de fevereiro com março deste ano e com o período homólogo (março) do ano passado.

Para consulta de todos os dados analisados, consulte o seguinte link.

 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: