22.2 C
Castelo Branco
Terça-feira, Maio 24, 2022
No menu items!
InícioCulturaDia Mundial do Livro na Alma Azul dedicado a José Saramago

Dia Mundial do Livro na Alma Azul dedicado a José Saramago

Figueira do Castelo Rodrigo, Guarda, Tábua e Castelo Branco

A Alma Azul assinala o Dia Mundial do Livro com o centenário do nascimento de José Saramago, Prémio Nobel da Literatura em 1998, numa sessão elaborada a partir de dois livros: “A Bagagem do Viajante”, livro de crónicas publicadas no Diário “A Capital”, em 1969; e no “Jornal do Fundão” nos anos de 1971-1972; onde o autor fala sobre a sua biografia e de alguns dos temas que o acompanharão ao longo de oitenta e sete anos de vida.

O outro livro é o gigantesco “Viagem a Portugal”, uma encomenda do Círculo de Leitores que José Saramago cumpre de lés-a-lés, visitando um país nos anos 80 e fixando-se essencialmente no seu património edificado, com destaque no religioso, com observações deveras curiosas para um ateu: mas José Saramago também preenche o livro “Viagem a Portugal” com muitos portugueses e os seus problemas bem humanos.

Dois livros que revelam um escritor ainda à procura do estilo com que marcou (e marca) a Literatura Portuguesa e Universal; e que, como mediação e introdução à sua Obra, a Alma Azul deseja apresentar em Bibliotecas Municipais; a um público não leitor (ou já leitor) de José Saramago.

É evidente nestes dois livros uma das facetas mais relevantes da sua personalidade, especialmente após o Nobel em 1998: o de comentador político do mundo que o rodeia; e da justiça social que o levará aos grandes fóruns onde terá um palco privilegiado, especialmente após a atribuição do Prémio Nobel pela Academia Sueca.

Nas crónicas que publica no “Diário A Capital” e no “Jornal do Fundão” há de tudo; desde a reflexão sobre a Literatura classificada de Infantil, até ao enigma da couve portuguesa; passando pela pergunta de Carlos Drummond de Andrade “E Agora, José?” que Saramago comenta em nome próprio; e ainda um destaque para uma das suas mais contundentes crónicas a que dá o título de “Os gritos de Giordano Bruno”.

José Saramago

Será esta introdução à obra de José Saramago que a Alma Azul leva no próximo dia 23 de abril, Dia Mundial do Livro, a Figueira de Castelo Rodrigo; e em maio, no dia 24, à Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda; em junho, passará pela Biblioteca João Brandão, em Tábua, dia 3.

A Bagagem do Viajante José Saramago chegará a Castelo Branco no dia 7 de junho, às 16 horas, dando oportunidade à comunidade escolar do concelho a sua participação em turma.

A Alma Azul produziu esta sessão especialmente para Bibliotecas Municipais, e está disponível a partir do dia 16 de abril a 16 de novembro, data em que se assinala o centenário do nascimento de José Saramago.

A pretensão da Alma Azul é a de levar “A Bagagem do Viajante José Saramago” a todos os concelhos, especialmente aos da Beira Interior e da Beira Litoral.

“Os Dentes de Rato de Agustina Bessa-Luís” será uma outra sessão literária, produzida e dinamizada pela Alma Azul  para assinalar, nos meses de Setembro a Dezembro, o centenário da autora de uma das obras mais notáveis da Literatura Portuguesa: Agustina Bessa-Luís.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: