22.2 C
Castelo Branco
Terça-feira, Maio 24, 2022
No menu items!
InícioDesportoPortugal perde com favorita Espanha no primeiro dia do Campeonato do Mundo...

Portugal perde com favorita Espanha no primeiro dia do Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas

  • País recebe pela primeira vez a fase final da competição

  • Organização a cargo da Federação Portuguesa de Ténis e da Premier Sports

A seleção nacional portuguesa de ténis em cadeira de rodas estreou-se no BNP Paribas World Team Cup — Campeonato do Mundo de Equipas de Ténis em Cadeira de Rodas com uma derrota contra a Espanha, por 3-0.

A fase final da competição acontece pela primeira vez em Portugal, com organização da Federação Portuguesa de Ténis e da Premier Sports, entre os dias 2 e 8 de maio, na Vilamoura Tennis & Padel Academy.

No primeiro confronto do Grupo D, Portugal tentou, mas não conseguiu contrariar o favoritismo da Espanha, terceira cabeça de série do torneio e vice-campeã do mundo em 2021: João Couceiro (188.º do ranking mundial) perdeu por 6-0 e 6-0 com Enrique Siscar (57.º), Fábio Reis (156.º) cedeu por 6-0 e 6-0 perante Daniel Caverzaschi (11.º) e no duelo de pares Carlos Leitão (186.º) e Jean Paul Melo (457.º) consentiram os parciais de 6-0 e 6-1 a Martin de La Puente (10.º) e Francesc Tur (41.º).

“A nossa participação tem de passar por dar a oportunidade aos jogadores de evoluírem e neste caso o Fábio e o João são os jogadores que têm mais margem de progressão, por serem os mais novos. Estes encontros fazem parte do processo evolutivo de cada um, porque precisam de competir a este nível para terem a capacidade de gerir as emoções que a competição envolve. No par, apesar de o Carlos e o Jean Paul Melo não terem a mesma mobilidade e movimentação, houve momentos engraçados porque eles já têm uma experiência que lhes permite fazer uma melhor gestão da competição”, explicou o selecionador nacional, Joaquim Nunes, após o primeiro dia de prova.

João Couceiro

O responsável pela equipa descreveu o período que a seleção portuguesa atravessa como “um passar de testemunho, porque temos dois jogadores muito experientes e duas caras novas, que se estrearam no ano passado.”

E descreveu a organização deste Campeonato do Mundo como “o culminar de um ciclo em que organizámos três qualificações, primeiro duas europeias e depois uma mundial, e que agora termina com a primeira fase final em Portugal, que faz com que possamos ter no país alguns dos melhores jogadores do planeta.”

Declarações de Fábio Reis: “Estar num Campeonato do Mundo é um sonho. O nível é muito alto e para nós é muito positivo aprender com todos estes jogadores. Fazer parte desta equipa e estar a jogar um torneio como este motiva-me muito. O meu adversário de hoje devia ter algum motor debaixo da cadeira, porque não parava quieto, mas o jogo está lá. Agora temos é de jogar mais com estes adversários para aprendermos e um dia conseguirmos bater-nos com eles.”

Declarações de João Couceiro: “A primeira grande emoção que senti foi na cerimónia de abertura, em que ao entrarem todas as seleções me caiu a ficha e percebi o peso da responsabilidade de estar a representar Portugal. Sendo nós o país organizador e tendo a oportunidade de no final da cerimónia ouvir o hino nacional, o impacto ainda foi mais forte. É uma experiência muito enriquecedora e que irei levar comigo para sempre. Sobre hoje, saio um pouco frustrado por não ter conseguido fazer pelo menos um jogo, mas a Espanha é uma das equipas favoritas. Ainda assim tentamos sempre dar o nosso melhor e aproveitar para extrair algum conhecimento que possamos aplicar no nosso jogo.”

Declarações de Carlos Leitão: “Isto é como estar a jogar a Liga dos Campeões, estão cá os melhores jogadores do mundo e seleções muito fortes. Nós recebemos um wild card e é claro que não estamos ao nível das outras seleções, mas tentamos fazer o nosso melhor. Jogámos com a Espanha e perdemos por 3-0, mas ainda fizemos uns pontinhos e foi muito bom poder defrontar jogadores desta qualidade.”

Declarações de Jean Paul Melo: “Representar Portugal é um orgulho e está a ser uma experiência extraordinária. Na cerimónia de abertura até fiquei com a pele arrepiada. A Federação Portuguesa de Ténis tem trabalhado muito para o ténis em cadeira de rodas crescer e eventos como este são um exemplo para que as pessoas com incapacidade possam ver que é possível fazer várias coisas apesar do handicap que temos.”

Na terça-feira, a seleção nacional portuguesa regressa aos courts da Vilamoura Tennis Academy para defrontar a Malásia, que na jornada inaugural venceu a Polónia por 2-1.

A equipa malaia conta com apenas dois jogadores: Abu Samah Borhan (29.º) e Mohamad Yussuhazwan Yusoff (39.º). Já os espanhóis, defrontam os polacos.

Ainda no torneio masculino, a Argentina sobreviveu ao susto do primeiro dia e derrotou a África do Sul, por 2-1, no Grupo A.

O conjunto sul-americano perdeu o primeiro encontro (vitória de Alwande Sikhosana por 6-3 e 6-1 contra Ezequiel David Casco) e contou com estrela Gustavo Fernández (numero três mundial, detentor de cinco títulos do Grand Slam e campeão do mundo em 2017 e 2019) para consumar a reviravolta: primeiro no singular, com triunfo por 6-1 e 6-1 sobre Eliphas Maripa, e depois no par, ao lado de Casco, graças aos parciais de 6-7(0), 6-2 e 10-6 perante Eliphas Maripa e Alwande Sikhosana.

No mesmo grupo, o Japão — que conta com o tenista mais credenciado da competição, Shingo Kunieda(47 títulos do Grand Slam entre singulares e pares, quatro medalhas de ouro em Jogos Paralímpicos e nove títulos de campeão do mundo) — derrotou o Brasil, por 3-0.

Foi o mesmo resultado da Grã-Bretanha (que tem Alfie Hewett, detentor de 19 títulos do Grand Slam) perante o Chile e dos Países Baixos contra o Sri Lanka no Grupo B.

No torneio de juniores, Grã-Bretanha (3-0 contra a França), Austrália (2-1 frente ao Japão), Estados Unidos da América (2-1 ante o Brasil) e Países Baixos (2-1 frente à Argentina) registaram os primeiros triunfos, enquanto na prova de quad as vitórias inaugurais sorriram à África do Sul (2-1 contra o Japão), ao Brasil (3-0 frente à Grã-Bretanha) e aos EUA (2-1 perante Israel).

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: