20.5 C
Castelo Branco
Terça-feira, Maio 17, 2022
No menu items!
InícioRegionalSERTÃ: Exposição e apresentação do livro “Dicionário da Invisibilidade”

SERTÃ: Exposição e apresentação do livro “Dicionário da Invisibilidade”

De 23 de maio a 25 de junho, estará patente na Biblioteca Municipal Padre Manuel Antunes, na Sertã a exposição das ilustrações do livro “Dicionário da Invisibilidade”.

Da autoria de André Carrilho estarão em exposição 20 desenhos originais que compõem a obra lançada por ocasião dos 30 anos da Associação SOS Racismo.

No dia 23 de maio, primeiro dia da exposição, às 14 horas, decorrerá a inauguração da exposição e a apresentação do livro por um representante da SOS Racismo.

“O Dicionário da Invisibilidade” nasceu no início da pandemia da Covid19 e é o resultado do trabalho de 160 pessoas dos cinco continentes que, apesar de todas as limitações do contexto que se atravessava, puseram mãos à obra.

O livro é uma forma de relembrar e homenagear todos aqueles que por causa de opressões e barbáries “se levantaram, lutaram, morreram sem que o soubéssemos,” (…) “gente, mais do que possamos imaginar, que lutou, que perdeu mas também venceu e construiu momentos de vida, de sociedade, de cultura, solidários e harmoniosos com a natureza e com a Humanidade”.

A exposição das ilustrações poderá ser visitada de 23 de maio a 25 de junho, segundas e sábados das 10h30m às 18h00m e de terça a sexta-feira das 10h00m às 18h30m.

André Carrilho é ilustrador, cartunista, animador e caricaturista. Galardoado com mais de 30 prémios nacionais e internacionais, já participou em exposições colectivas e individuais em diversos países um pouco por todo o mundo. O seu trabalho está publicado por uma extensa lista de jornais e revista que inclui The New York Times, The New Yorker, Vanity Fair, New York Magazine, Independent on Sunday, NZZ amSonntag, Harper’s Magazine, New Statesman e Diário de Notícias.

A Associação SOS Racismo surgiu em 1990 e almeja uma sociedade mais justa, igualitária e intercultural onde todos, nacionais, e estrangeiros com qualquer tom de pele, possam usufruir dos mesmos direitos de cidadania.

Em 1996 recebeu o estatuto de utilidade pública. Desenvolve atividades em diversas áreas e ações com outras associações de países europeus.

 

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: