30.6 C
Castelo Branco
Quinta-feira, Julho 7, 2022
No menu items!
InícioNacionalTurismo sustentável marcou visita da Secretária de Estado Rita Marques ao Centro...

Turismo sustentável marcou visita da Secretária de Estado Rita Marques ao Centro de Portugal

  • Governante conheceu projetos em curso em Vouzela, Tondela e Leiria e participou na assinatura do protocolo de parceria para criação do Observatório de Turismo Sustentável do Centro.

A Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, Rita Marques, visitou três municípios do Centro de Portugal, onde ficou a conhecer algumas iniciativas turísticas em curso e projetadas.

A visita foi acompanhada por uma equipa do Turismo Centro de Portugal, liderada pelo seu presidente, Pedro Machado, e pelo Turismo de Portugal, através de Carlos Abade, vogal do Conselho Diretivo.

O roteiro começou em Vouzela, com uma visita ao Pastel de Vouzela Museu e à Casa das Ameias, uma casa quinhentista no centro da vila, transformada numa unidade de turismo de habitação.

Aqui, o presidente da autarquia, Rui Ladeira, deu conta à governante de algumas iniciativas que este município está a realizar e a idealizar no âmbito da atividade turística – casos da Ecopista do Vouga, das Aldeias da Serra do Caramulo, do roteiro EN16 e do aproveitamento das estações ferroviárias – e apresentou o caminho percorrido pelo município para ser certificado como “território sustentável”.

Visita em Vouzela

Recorde-se que Vouzela foi o primeiro concelho em Portugal a ser certificado como município sustentável pela Biosphere Portugal.

A esse propósito, Patrícia Araújo, da Biosphere Portugal, explicou como decorreu o processo de certificação, que teve como principais objetivos qualificar o destino e definir objetivos e metas.

“Vouzela é um case study no Centro de Portugal ao nível da sustentabilidade”, disse, lembrando que na região Centro há já cerca de 140 empresas certificadas ou em processo de certificação, no projeto “Centro Sustentável”, sendo 12 delas em Vouzela.

Alguns operadores locais de turismo tiveram também a oportunidade de deixar testemunhos da sua experiência no processo de certificação, nomeadamente Ana Esperanço (Barão Guest House), Paulo Pinto (Tasquinha de Lafões) e José Carlos Rebelo (Weekend – atividades turísticas), que lembrou que “a certificação obriga-nos a manter padrões elevados de qualidade, o que é positivo”.

Na ocasião, Rita Marques elogiou o esforço dos operadores e do município. “Portugal tem ativos extraordinários, que podem e devem ser trabalhados. Temos de profissionalizar esse trabalho e acompanhar as novas tendências, em particular a sustentabilidade, que não é uma moda: é fundamental em termos económicos, ambientais e sociais para as comunidades locais”, disse. “Queremos que Portugal seja o país mais sustentável do mundo, de forma a tornar-se mais competitivo e aumentar a receita turística. O Turismo tem de continuar a ser o motor da economia, mas terá de ser um motor verde”, acrescentou.

A visita a Vouzela terminou na Ecopista de Vouzela, uma infraestrutura com cerca de 7 km na antiga linha do Vale do Vouga, que liga esta vila a São Pedro do Sul.

Caramulo foi o segundo momento do dia

À tarde, e depois de um almoço no restaurante “Ar Puro”, em Oliveira de Frades, a comitiva deslocou-se à vila do Caramulo, onde realizou duas paragens, acompanhada pela presidente da Câmara Municipal de Tondela, Carla Antunes Borges.

A primeira paragem foi no Caramulo Experience Center, espaço recente dedicado a todos os aficionados que restauram, conduzem e respiram automóveis e motos antigas.

Situado num antigo edifício industrial, este espaço alberga uma oficina de restauro e manutenção de automóveis clássicos, as reservas da coleção do Museu do Caramulo, uma área de exposições, um centro de documentação e uma loja de produtos para clássicos.

Ainda no Caramulo, foram visitados alguns espaços emblemáticos da vila do Caramulo que estão sem utilização e que se pretende requalificar e devolver à comunidade, no âmbito de uma estratégia desenvolvida pelo Município de Tondela.

Museu Automóvel do Caramulo

É o caso, entre outros, do Sanatório Infantil, edifício do arquiteto Pardal Monteiro.

Carla Antunes Borges explicou que o objetivo da autarquia é criar “uma rede de museus no Caramulo, com várias experiências, para que os visitantes possam acrescentar àquilo que é o desfrutar da natureza a vivência cultural e artística, ligada ao setor automóvel, bem como a outras áreas”.

Protocolo para a criação do Observatório de Turismo Sustentável do Centro assinado em Leiria

A deslocação da governante terminou no Instituto Politécnico de Leiria, onde foi assinado o protocolo de parceria para a criação do Observatório de Turismo Sustentável do Centro, um instrumento de grande importância para a análise da atividade turística no Centro de Portugal.

O protocolo foi assinado entre o Instituto Politécnico de Leiria (IPL), Turismo de Portugal (TP) e Turismo Centro de Portugal (TCP).

Criado pelo TCP, o Observatório tem o objetivo de monitorizar todos os aspetos relacionados com o turismo na região.

Desta forma, constitui um apoio fundamental à tomada de decisão de todos os protagonistas da atividade turística na região, fornecendo informação de valor às empresas e organizações.

O seu Conselho Técnico-Científico integra investigadores de todas as instituições de Ensino Superior da região Centro de Portugal, designadamente as Universidades de Aveiro, Coimbra e Beira Interior e os Institutos Politécnicos de Leiria, Tomar, Coimbra, Guarda, Viseu e Castelo Branco

Por parte do IPL, o presidente Rui Pedrosa destacou que “o Turismo é uma área estratégica para Portugal, à qual é fundamental acrescentar valor, pela via do conhecimento, formação e investigação. Esperamos que o Observatório seja o reflexo da região Centro, que é uma região inovadora e cada vez mais sustentável”.

Francisco Dias, coordenador do Observatório, assinalou que “a responsabilidade é grande e as expetativas são altas”. “Vamos criar uma rede coesa e colaborativa de empresários e associações de turismo, numa tarefa enormíssima, com a intenção de recolhermos dados primários de 10 mil empresas da região Centro de Portugal”, disse.

Teresa Monteiro, vice-presidente do Turismo de Portugal, realçou que “um dos vetores da missão do Turismo de Portugal é o desenvolvimento económico, social e ambiental de todo o território, para posicionar Portugal como um dos destinos mais sustentáveis do mundo”. “Um dos eixos dessa atuação é a monitorização do setor e é nesse eixo que se insere este Observatório. Temos de avaliar o que fazemos, para vermos se aquilo que foi pensado tem retorno no território”, acrescentou.

Pedro Machado, presidente do TCP, lembrou a importância de envolver, neste Observatório, “três Universidades e seis Institutos Politécnicos da região”. “Este instrumento vai contribuir para ultrapassarmos uma dificuldade, que era a escassez de dados que ajudassem a medir e a quantificar a atividade turística na região. Assumimos o compromisso de continuar a trabalhar para que as estratégias nacionais, regionais e locais sejam convergentes, de forma a assegurar um maior desenvolvimento dos territórios, aumentar a competitividade do destino e sermos assim cada vez mais atrativos para os mercados internos e internacionais”, sublinhou.

Gonçalo Lopes, presidente da Câmara Municipal de Leiria, enalteceu também “o trabalho em rede e a reunião de massa crítica” do Observatório, de forma a “municiar as entidades públicas, empresas e turistas de informação útil”. “Existe a enorme expetativa de que o setor do Turismo seja decisivo para a recuperação económica, como aconteceu no passado. Regista-se já um aumento grande das visitas, o que dá boas indicações para o futuro”, considerou.

Coube à Secretária de Estado encerrar a cerimónia. Rita Marques recordou que “o Turismo é um motor fundamental da nossa economia, que não surge do acaso e é resultado de grande trabalho. O Turismo é altamente competitivo graças à sustentabilidade, promovendo a coesão territorial e a criação de riqueza”. “Queremos ser o país mais competitivo do mundo no Turismo. Para isso temos de trabalhar com todos, entre empresas, entidades, associações e trabalhadores, e esta parceria é um exemplo desse trabalho. Só podemos gerir o que conhecemos e medimos. O Observatório pode ser uma ferramenta fundamental para concluir que o Turismo é uma indústria do bem, que causa impactos positivos nos territórios”, terminou.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: