9 C
Castelo Branco
Segunda-feira, Junho 27, 2022
No menu items!
InícioCulturaNuno Miguel Henriques leva Fernando Pessoa ao Coliseu Porto

Nuno Miguel Henriques leva Fernando Pessoa ao Coliseu Porto

“Uma Hora Com Fernando Pessoa” é um espetáculo poético e artístico que se baseia numa abordagem dinâmica e interativa da poesia portuguesa, com uma estética acessível a todo o género de público, do estudantil ao intelectual, do popular ao erudito.

Entre a informalidade e o contacto direto com o público, criam-se momentos de proximidade únicos nesta viagem com Fernando Pessoa, tendo ao leme o diseur anfitrião Nuno Miguel Henriques, numa verdadeira trajetória linguística entre o poeta e os seus heterónimos, introduzindo-se notas biográficas, recitando-se e conversando-se sobre curiosidades e diversas referências históricas e culturais.

O evento, além da palavra interpretada com Arte de Dizer, é ilustrado por imagens, sons e apontamentos cénicos, num momento de compressão e apetência por toda a obra Pessoana, duma forma peculiar e original.

Com engenho e entrega, trata-se duma versão única, não repetível de sessão para sessão e singular do Diseur Nuno Miguel Henriques, com uma vasta carreira de trabalho em prol da poesia, quer em termos de espetáculos, recitais, edições de CD’s poéticos, rádio e televisão, que cumpre neste original evento a máxima de Octávio Paz “a melhor maneira de compreender um poema, é ouvi-lo“.

Com estreia para o espaço imensurável e de memórias do Coliseu do Porto, tem previstas apresentações por todo o país e estrangeiro, numa digressão em Bibliotecas, Escolas, Auditórios, Feiras do Livro, Encontros Literários e outros espaços alternativos onde a poesia tenha lugar, como Monumentos, Museus ou mesmo ao Ar Livre.

Deste espetáculo, fazem parte a interpretação de textos como: “Liberdade”, de Fernando Pessoa; “O Poeta é um Fingidor”, de Fernando Pessoa; “Minha Pátria é a Língua Portuguesa”, de Bernardo Soares; “Lisbon Revisited”, de Álvaro de Campos; “Apontamento”, de Álvaro de Campos; “Todas as Cartas de Amor São Ridículas”, de Álvaro de Campos; “O Menino de Sua Mãe”, de Fernando Pessoa; “O Mistério das Coisas”, de Alberto Caeiro; “Estás só”, de Ricardo Reis; “Mestre São Plácidas Todas as Horas”, de Ricardo Reis; “Não Sei Quantas Almas Tenho”, de Fernando Pessoa; “Tão Cedo Passa Tudo”, de Ricardo Reis; “Tenho Tanto Sentimento”, de Fernando Pessoa; “Eros e Psique”, de Fernando Pessoa; “Sou Um Guardador de Rebanhos”, de Alberto Caeiro; “Olá Guardador”, de Alberto Caeiro; “O Tejo É Mais Belo”, de Alberto Caeiro; “O Infante”, de Fernando Pessoa; “Mar Português”, de Fernando Pessoa; “O Mostrengo”, de Fernando Pessoa; “Ode Triunfal (extratos)”, de Álvaro de Campos;.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: