27.2 C
Castelo Branco
Domingo, Agosto 14, 2022
No menu items!
InícioCultura“Chovem Amores na Rua do Matador”, de Mia Couto e José Eduardo...

“Chovem Amores na Rua do Matador”, de Mia Couto e José Eduardo Agualusa

Auditório do Teatro das Beiras, a 12 de julho

O Auditório do Teatro das Beiras, recebe no dia 12 de julho (3ª feira), a peça “Chovem Amores na Rua do Matador”, de Mia Couto e José Eduardo Agualusa, numa coprodução da Fundação Fernando Leite Couto e Universidade Eduardo Mondlane.

A apresentação decorre no Auditório do Teatro das Beiras, às 21h30, sendo seguida de uma conversa com José Eduardo Agualusa.

Os bilhetes podem ser adquiridos na bilheteira do Teatro das Beiras ou através da Ticketline.

Sinopse:

Baltazar Fortuna está zangado. Com os homens, com a vida, com Deus e consigo mesmo. Fortuna, só lhe coube a do nome. E, sobretudo, está zangado com as mulheres. Com as três mulheres da sua vida. Por isso volta a Xigovia – a pequena vila no Sul de Moçambique, onde elas vivem – com um objectivo claro: matar. Sim, matar. Matar o azar, varrer a má-fortuna e emendar a vida que escolheu viver, mas já não deseja. No processo, há que matar as mulheres também. São elas as culpadas, disso não duvida. Ele, que sempre teve medo das palavras quer redimir-se nos actos. O único obstáculo? Elas não querem colaborar, não lhes apetece morrer. Têm ideias próprias. Esse, sabe ele bem, é o problema do Mundo: andarem a meter ideias na cabeça das mulheres. Logo nelas, diz Fortuna, que ‘Desde Eva que andam em contramão’. A morte vai andar por Xigovia, isso é certo.

Mia Couto e José Eduardo Agualusa, reflectem neste conto – adaptado ao palco com dramaturgia do próprio Mia Couto – sobre o conflito entre um Moçambique periurbano, que hesita entre um lastro de tradições e práticas ancestrais cristalizadas nas mentalidades masculinas dominantes; e um novo país, de demografia galopante, prenhe de jovens que, a cada dia, se revêm menos nas estruturas culturais herdadas e nas práticas sociais que elas impõem. O conflito entre Baltazar Fortuna e as suas mulheres – Mariana Chubichuba, Judite Malimali e Ermelinda Feitinha – leva, inevitavelmente, à morte de um desequilíbrio social onde o lugar que cabe às mulheres e o dos homens é vigorosamente questionado e resolvido em cada opção, em cada atitude, em cada gesto do presente.

Ficha Artística:

Autores Mia Couto e José Eduardo Agualusa

Dramaturgia Mia Couto

Interpretação Angelina Chavango, Horácio Guiamba, Joana Mbalango, Josefina Massango e Violeta Mbilane

Encenação Clotilde Guirrugo e Vitor Gonçalves

Cenário Evaro de Abreu

Figurinos Sara Machado

Coreografia Ademar Chauque

Música Shigeru Umebayashi

Sonoplastia Pedro da Silva Pinto

Luz Quito Tembe

Direcção de Produção Clotilde Guirrugo e Pablo Ribeiro

Uma co-produção – Fundação Fernando Leite Couto, Universidade Eduardo Mondlane – Direcção de Cultura.

teatro | aprox. 80 minutos | maiores 12 anos

Preço bilhete: 6€ (desconto para estudantes, maiores 65 anos, profissionais das artes, sócios do Teatro das Beiras e da Casa do Pessoal do CHCB)

Reservas na Bilheteira do Teatro das Beiras (275 336 163) ou na Ticketline (www.ticketline.sapo.pt).

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: