23.9 C
Castelo Branco
Terça-feira, Setembro 27, 2022
No menu items!
InícioInternacionalUniversidade de Coimbra promove programa cultural comemorativo do bicentenário da independência do...

Universidade de Coimbra promove programa cultural comemorativo do bicentenário da independência do Brasil

Música, teatro, literatura e exposições compõem o programa multidisciplinar de comemoração do bicentenário da independência do Brasil, que a Universidade de Coimbra organiza a partir de 7 de setembro.

A série de eventos, com arranque na data que marca oficialmente a efeméride, acentua a ligação centenária entre a UC e a pátria brasileira.

A Universidade de Coimbra recebe estudantes naturais do Brasil desde meados do século XVI e está umbilicalmente ligada à história do país sul-americano: dela se diz que foi fundamental para que a pátria brasileira nascesse e crescesse una e indivisa.

Enquanto, na América Latina de domínio espanhol, as elites formadas em 25 universidades distintas deram origem a 18 novos países no decurso do século XIX, as 19 Capitanias-Gerais do território português na América do Sul mantiveram-se unidas, pois a grande maioria das suas elites (71,8% dos Ministros, Senadores e Conselheiros brasileiros entre 1822 e 1831) tinha estudado em Coimbra, na única instituição de ensino superior em funcionamento permanente no “império português” até 1911.

Duzentos anos depois, a ligação mantém-se, com os alunos e alunas brasileiros/as a representarem cerca de 10% da comunidade estudantil da UC, considerada a maior universidade “brasileira” fora do Brasil.

É essa relação especial, com passado, presente e futuro, que se vai celebrar com um programa cultural multifacetado: “Celebrar o bicentenário da independência do Brasil é, para a UC, celebrar a própria essência da centralidade que a lusofonia ocupa na sua missão institucional, é dar corpo, voz, cor e alma ao ímpeto criador que une povos irmãos banhados pelo calor da mesma luz poética”, declara o Vice-Reitor da UC para a Cultura e Ciência Aberta, Delfim Leão.

Na próxima quarta-feira, 7, a partir das 15h00, a Sala do Senado recebe a apresentação do livro “Camões e Lusíadas”, por Antônio Ricardo Accioly Campos, Presidente da Fundação Joaquim Nabuco.

Segue-se-lhe um dos pontos altos do programa: pelas 18h00, é inaugurada, na Sala de São Pedro da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (BGUC), a exposição “A Universidade de Coimbra e a independência do Brasil”, que reúne os registos documentais e bibliográficos desta relação centenária (espólio da Biblioteca Geral e do Arquivo da UC), incluindo um vasto acervo de imprensa oitocentista e outros documentos históricos, como a matrícula do primeiro aluno com registo “natural do Brasil” a estudar na Universidade de Coimbra – Manuel de Paiva Cabral, que frequentou a UC entre 1574 e 1586.

A mostra – com coordenação do Vice-Reitor da UC para as Relações Externas e Alumni, João Nuno Calvão da Silva, e do Diretor da BGUC, João Gouveia Monteiro, e curadoria de Ana Maria Leitão Bandeira e António Eugénio Maia do Amaral – fica patente até 30 de setembro (mediante marcação prévia, para visitas de grupo).

“Após ter sido exibida no Recife, esta riquíssima mostra organizada pela Biblioteca Geral e pelo Arquivo da UC será finalmente inaugurada em Coimbra, com a presença de parceiros como o Presidente da Fundação Joaquim Nabuco. Será mais um marco na promoção do diálogo e da cooperação entre Brasil e Portugal, imagem de marca da nossa Universidade”, afirma João Nuno Calvão da Silva.

Também na quarta-feira, 7, pelas 18h30, a UC organiza no Museu Nacional Machado de Castro um concerto de homenagem a Antônio Carlos Jobim (1927-1994).

O espetáculo, promovido em parceria com o Cistermúsica – Festival de Música de Alcobaça, fica a cargo do projeto Remember Jazz, quarteto de jazz e voz que reinterpreta o legado musical do lendário cantautor brasileiro, mais conhecido por Tom Jobim.

Noutros palcos, o dia 7 marca igualmente o arranque da Mostra São Palco – Festival de Teatro Brasileiro em Portugal, um projeto do Teatrão ao qual a Universidade de Coimbra se associa através do Teatro Académico Gil Vicente (TAGV).

O ciclo teatral, com curadoria de Jorge Louraço Figueira, envolve uma série de eventos – entre espetáculos, conversas, conferências e oficinas – em várias cidades, e inicia-se às 21h30 com a subida ao palco do TAGV, d“A Invenção do Nordeste”, pelo Grupo Carmin.

O programa da Mostra São Palco no TAGV, e também no Instituto de Estudos Brasileiros da Faculdade de Letras (IEB) da Faculdade de Letras da UC (mais informações em https://www.facebook.com/SaoPalco/), inclui ainda a peça teatral “Lugar Nenhum”, pela Companhia de Latão (dia 23, 20h00), e conversas pós-espetáculos, conferências, mesas-redondas e oficinas, que vão decorrer até meados de outubro.

Também para meados de setembro (data a anunciar brevemente) está prevista a inauguração, no átrio do Student Hub, de mais uma exposição sobre a relação centenária entre a UC e o Brasil, com objetos do espólio do Museu da Ciência.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: