9.1 C
Castelo Branco
Terça-feira, Janeiro 31, 2023
No menu items!
InícioNacionalPorque o Natal não é sinónimo de gastar dinheiro…

Porque o Natal não é sinónimo de gastar dinheiro…

… Quanto mais cedo começar a pensar em alternativas que permitam economizar, melhor! Com o aproximar do Natal, e em antevisão a um 2023 que, ao que tudo indica, será marcado por um menor crescimento da economia e uma inflação ainda elevada, as famílias começam a fazer contas à vida e a pensar em soluções que, sem colocar em causa o espírito natalício, permitam poupar.
 

Apesar de parecer um objetivo desafiante, o UNIBANCO pensou em si e traz-lhe algumas dicas úteis para conseguir fazer uma melhor gestão do dinheiro e, com isso, economizar, não só durante o Natal, mas durante o dia a dia:

1. Não se esqueça de fazer um planeamento do orçamento mensal e de estabelecer limites no Natal
Se quer realmente poupar, deve começar por fazer um planeamento do orçamento mensal, uma ferramenta fundamental para conseguir perceber onde está a gastar mais dinheiro e como pode ajustar consoante as necessidades de cada mês. É, na verdade, muito simples. Para conseguir fazer este planeamento, deve ter em consideração quais as receitas do mês e quais as despesas. Desta forma, conseguirá perceber que despesas deverá manter, quais pode otimizar (como procurar planos de telemóvel mais baratos, por exemplo) e quais as que estão a mais. Paralelamente, e para conseguir fazer este planeamento, saiba que pode sempre recorrer às aplicações de instituições de crédito que permitem, de forma automática, segmentar estes mesmos gastos por categorias, além de sinalizarem quanto gastou e onde pode poupar. Nesta quadra em específico, é particularmente importante aprender a estabelecer limites no orçamento (como pensar nas pessoas a quem quer oferecer uma prenda, mas definir, a priori, um limite do que pode gastar).
2. Crie um fundo de emergência
Adicionalmente ao planeamento do orçamento mensal e respetivos limites para o Natal, uma das principais sugestões passa pela criação daquilo a que chamamos de fundo de emergência, que, tal como o próprio nome indica, é uma solução à qual pode recorrer em caso de ocorrer algum contratempo financeiro. Caso perca parte ou a totalidade dos seus rendimentos, seja por ficar desempregado ou por aparecer alguma despesa inesperada (como um problema de saúde, uma cirurgia urgente ou uma reparação no carro), esta almofada financeira irá permitir suportar as despesas correntes durante um determinado período. Para saber qual o valor que deve poupar para um fundo de emergência, deve calcular as despesas mensais e multiplicar esse valor por seis, na medida em que o valor aconselhável deve corresponder ao somatório de, pelo menos, seis meses de despesas.
3. Esteja atento às oportunidades para poupar
Para conseguir fazer uma melhor gestão dos gastos, deve estar atento a todo o tipo de oportunidades que lhe permitam otimizar o seu dinheiro. Por exemplo, aproveite as campanhas promocionais, sejam os saldos de verão, inverno ou Black Friday, para comprar, antecipadamente, os presentes de Natal. Por sua vez, com o preço dos alimentos ou mesmo dos brinquedos a aumentar de dia para dia, e caso ainda não tenha, esta é a altura indicada para subscrever os cartões ou apps de descontos dos supermercados. Sem qualquer contrapartida financeira, estes apresentam todas as semanas/meses diferentes tipos de promoções e campanhas (nesta altura do ano existem, por exemplo, campanhas nos brinquedos, seja de desconto direito ou que revertem para o cartão). Por outro lado, e paralelamente ao Natal, se está a pensar no impacto que o aumento do preço do gás terá nas suas economias, saiba que também existe uma alternativa: para fazer frente a este aumento, o Governo decidiu levantar as restrições que impediam a mudança para o mercado regulado (os preços são definidos pelo Governo, através da ERSE, sendo que não sofrem grandes variações ao longo do ano) − desde que o seu consumo não ultrapasse os 10.000 m3. Mas não fica por aqui! Sabia que, para conseguir fazer uma melhor gestão do dinheiro, pode adotar um serviço de domiciliação de pagamentos?! Para garantir que não falha nenhum prazo nos pagamentos das faturas da casa, e que sofra com as respetivas consequências, esta solução, totalmente gratuita, autoriza uma ordem de pagamento recorrente diretamente sua conta bancária.
4. Compre agora, mas pague depois
Em alternativa, pode sempre adotar a modalidade compre agora, pague depois. Não sabe no que consiste?! Se recorrer aos pagamentos fracionados com o seu cartão de crédito, pode fazer compras sem que o plafond que tem disponível seja afetado, uma vez que o montante fica numa linha de crédito paralela. Se estiver a pensar em fazer uma compra ou um pagamento de serviço com um valor mais avultado, os pagamentos fracionados permitem dividir, por exemplo em três vezes, uma determinada compra em prestações fixas e sem juros – desde que cumpra com os requisitos – bem como o período de pagamento selecionado, que varia consoante entidade. Esta solução permite manter um maior controlo das despesas, na medida em que pode ser ajustada consoante as suas possibilidades e, assim, fazer uma melhor gestão financeira.
5. Combata o aumento dos preços dos combustíveis
Paralelamente, e face ao aumento dos preços dos combustíveis, um dos principais desafios do dia a dia dos portugueses, o Governo adotou algumas medidas para tentar mitigar o impacto no orçamento das famílias, como a manutenção dos descontos do ISP e implementação de medidas direcionadas a setores específicos de atividade. No entanto, as previsões indicam que a volatilidade de preços não deverá abrandar e, neste momento, pode combater este aumento ao adotar comportamentos como, por exemplo, verificar o tipo de combustível recomendado; atestar o depósito ao máximo; abastecer de manhã cedo; verificar a pressão dos pneus todos os meses; retirar a carga desnecessária do automóvel; assegurar a manutenção do veículo; respeitar os limites de velocidade; não deixar o motor a trabalhar; utilizar o ar condicionado de forma moderada; entre outras. Em alternativa, pode sempre considerar a utilização de transportes públicos, sendo esta uma solução mais económica e sustentável.
6. Compre por necessidade e não por impulso
Nesta altura do ano, é particularmente importante envolver toda a família, incluindo as crianças, nesta aprendizagem de como aprender a não agir por impulso. As compras por impulso são um dos maiores inimigos da poupança, uma vez que podem originar problemas no orçamento familiar. Hoje em dia, através da elevada oferta, é cada vez mais fácil captar a atenção dos consumidores para compras mais emocionais e menos racionais. Adotar comportamentos como fazer listas de compras; pensar se precisa realmente desse produto/serviço; comparar os preços; estabelecer um orçamento; bem como evitar comprar no momento são alguns dos conceitos que, com o tempo, se tornam hábitos e passam a fazer parte do dia a dia da vida da sua família. Inclusivamente, quando bem definidos, planeados e organizados podem fazer a diferença no presente e no futuro.
7. Aproveite os benefícios atribuídos nas empresas
Além das dicas anteriores, que servem como mecanismos para fazer uma melhor gestão do dinheiro no Natal, além de responder a alguns dos imprevistos que têm vindo a pautar a atualidade, e a impactar de forma imediata todas as famílias, importa, também, pensar em ações mais preventivas. Hoje em dia, o bem-estar físico e psicológico é cada vez mais valorizado pelos colaboradores e as empresas têm isso em conta ao oferecer uma série de benefícios extrassalariais. Aproveite estas vantagens oferecidas de forma gratuita ou mais acessível, como o seguro de saúde, a possibilidade de fazer formações, entre outros, de forma a impactar o menos possível a carteira.
8. Seja criativo este Natal (sempre que possível)
E quem é que disse que precisa de gastar grandes quantidades de dinheiro nos presentes de Natal?! Este ano, puxe pela imaginação e desafie os mais pequenos para, em família, criarem os presentes mais originais deste Natal. Seja um presente para a avó, avô, tia ou tio, faça uma rápida pesquisa na internet para encontrar uma série de tutoriais simples (e bem natalícios) para conceber e… mãos à obra! Desfrute de um momento de grande diversão em família, sabendo que não precisa de gastar muito dinheiro para dar os presentes mais especiais. Em todo o caso, pode sempre oferecer um cartão presente. Não sabe o que significa?! Além de permitir uma melhor gestão do dinheiro, uma vez que pode decidir quanto dinheiro quer colocar, este cartão pré-pago e recarregável, que pode ser utilizado em diferentes lojas, é o presente ideal para oferecer a alguém que ainda não conhece tão bem.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: