22.2 C
Castelo Branco
Quinta-feira, Outubro 21, 2021
No menu items!
InícioRegionalPSD Castelo Branco dedica vídeoconferência à sustentabilidade do concelho

PSD Castelo Branco dedica vídeoconferência à sustentabilidade do concelho

Sob o mote Construir a Mudança, o PSD de Castelo Branco, realizou no passado sábado, dia 28 de novembro pelas 16h00, a 1ª. videoconferência online, com a temática Castelo Branco, Concelho Sustentável.

O ponto de partida, num debate em torno da sustentabilidade ambiental do concelho, que contou com a presença de Carlos Almeida, presidente da Comissão Política do
PSD de Castelo Branco, Rui Alves, professor no IPCB e especialista em mobilidade sustentável e Manuel Costa Alves, meteorologista e investigador na área do ambiente e alterações climáticas.

A sessão online foi moderada pelo Gestor, José Carlos Beato.

O presidente da Comissão Política, Carlos Almeida começou por referir que em 2017, quando assumiu as funções de vereador, deparou-se com problemas urgentes e problemas estruturantes.

Problemas urgentes, tais como a instalação da Fábrica do Bagaço em Alcains e a informação referente aos Aterros Sanitários.

No que diz respeito à Fábrica do Bagaço havia uma intenção clara do Executivo Socialista em viabilizar a sua instalação já que adquiriu dois terrenos por 110 mil euros que, posteriormente, vendeu por 1300 euros.

Mas também pelos sucessivos licenciamentos que aprovou.

A postura dos vereadores do PSD foi de sensibilizar a opinião pública, conferências de imprensa, artigos de opinião e vídeos, e votar contra nas reuniões do Executivo.

Aparentemente, a estratégia resultou.

Já quanto aos Aterros Sanitários a sua opinião é de tranquilidade em relação à VALNOR e preocupação em relação ao aterro detido por uma empresa de construção civil de âmbito nacional.

Problemas estruturantes: água, energias renováveis, acesso a edifícios públicos e transportes públicos.

Na água destacou a necessidade de uma reserva estratégica, com a construção da
Barragem do Alvito e a reutilização das águas das ETAR’s para rega dos espaços verdes.

Nas energias advogou a importância de aumentar a participação de energias renováveis na nossa matriz de consumo, alicerçado no aproveitamento da exposição solar.

Nos acessos a edifícios e espaços públicos assegurar a sua universalidade e nos transportes garantir que os mesmos sejam amigos do ambiente.

Carlos Almeida, terminou a sua intervenção com a definição de algumas metas estratégicas para o próximo mandato autárquico: tornar Castelo Branco uma Smart City; reduzir em 50% as emissões de gases de efeito estufa e a água da rega dos espaços verdes; aumentar em 20% a plantação de árvores; Concelho utilizar 75% da sua energia, em energias renováveis e em 2025 Castelo Branco integrar as 100 cidades mais sustentáveis do mundo.

O orador, Rui Alves salientou a importância de criar projetos de valor ligados à água, algo que, em seu entender, não tem estado a acontecer.

Referiu que é preciso ter uma visão clara sobre a sustentabilidade do concelho em matéria de mobilidade e ainda a importância da floresta salientando que a autarquia não se pode demitir de ter uma política para a floresta.

Destacou também a relevância de alocar uma parte do orçamento municipal para a inovação e tecnologia em sustentabilidade.

Costa Alves, mencionou que nos anos 60, 70 e 80, os economistas e ambientalistas falavam em desenvolvimento sustentável, mas devido a toda a evolução científica que houve, gradualmente esse conceito foi sendo abandonado e os especialistas atuais falam em crescimento sustentável e no que isso significa qualitativamente.

Sendo assim, numa perspetiva baseada na matriz do “pensar global, agir local”, a grande maioria dos países industrializados, criou agendas próprias para o desenvolvimento sustentável, sendo que Castelo Branco surpreendeu com a
implementação de uma Agenda Local, surgindo assim na cauda destas iniciativas, mas motivando todo um conjunto alargado de pessoas.

No entanto, convém referir que infelizmente essas medidas nunca passaram do papel e hoje na nossa cidade, não existe nenhum tipo de discurso por parte do poder local e/ou debate público que faça mover a sociedade civil nesse sentido.

Costa Alves, abordou ainda em conjunto com o restante painel de oradores, questões associadas ao Plano de Ordenamento da Albufeira de Stª. Águeda, bem como algumas preocupações inerentes à poluição do Tejo Internacional e à Central Nuclear de Almaraz, na Espanha.

«Construir a Mudança» é um projeto plural, aberto e participativo, que convoca a sociedade civil para refletir e a debater os temas que contam para o nosso concelho.

O próximo debate sobre o tema Castelo Branco, Concelho do Bem Estar realizar-se á no dia 12 de dezembro e poderá ser acompanhado online através da página de Facebook do PSD Castelo Branco.

Podem ser apresentadas questões e comentários em direto ou através do e-mail
psdseccaocastelobranco@gmail.com.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: