11.9 C
Castelo Branco
Segunda-feira, Janeiro 25, 2021
No menu items!
Início Nacional Docente do IPCB integra trabalhos de preparação da Estratégia Nacional de Combate...

Docente do IPCB integra trabalhos de preparação da Estratégia Nacional de Combate à Pobreza

Marco Domingues, docente da Escola Superior de Educação do IPCB, integra a comissão de trabalho que está a elaborar a proposta de Estratégia Nacional de Combate à Pobreza, no âmbito do Pilar Europeu dos Direitos Sociais, a convite da Ministra de Estado e da Presidência e da Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, enquanto representante da Animar – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local, entidade a que preside.

A comissão é coordenada por Edmundo Martinho, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, com quem o docente do IPCB reuniu pela primeira vez no dia 18 de novembro, com o objetivo de apresentar contributos para a referida estratégia.

Nesta reunião o docente e representante da sociedade civil reforçou a importância da justiça social e climática, da intervenção comunitária, do reforço do trabalho em rede e parceria, da monotorização local dos indicadores sociais e do reforço da equidade no sistema de educação e na sua relação com as famílias e comunidade.

Reforçou também a importância da participação das comunidades e das políticas sociais serem construídas a “partir de baixo”, a relevância da Rede Social Local enquanto instrumento publico e participado de diagnóstico, planeamento e de intervenção social, e ainda o papel preponderante da economia social e o potencial das incubadoras sociais.

Marco Domingues – Estratégia Nacional Combate Pobreza

Marco Domingues destacou também as “velhas respostas sociais”que podem ser recuperadas, dando o exemplo das empresas de inserção enquanto mecanismos de combate à pobreza e exclusão social e salientando, por outro lado, a importância das instituições de ensino superior na avaliação e promoção da inovação, através de lógicas de investigação-ação, fundamentais para a melhoria contínua da intervenção social.

A elaboração da Estratégia Nacional de Combate à Pobreza deverá atender, segundo o Despacho n.º 10277/2020, aos seguintes princípios: a) Integrar transversalmente todos os públicos, da infância à velhice, incluindo os grupos e os públicos mais vulneráveis, com atenção particular às pessoas com deficiência; b) Assegurar a reposição do valor de referência do Complemento Solidário para Idosos acima do limiar de pobreza, de modo a reforçar a garantia da eficácia desta medida no combate à pobreza entre os idosos; c) Repensar o sistema de mínimos sociais, reforçando os apoios do Estado aos grupos mais desfavorecidos, garantindo a universalidade da sua cobertura e dando um novo impulso à economia social, em nome da igualdade de oportunidades; d) Renovar os instrumentos territoriais integrados de combate à pobreza, articulando melhor as respostas sociais com políticas de habitação, saúde, formação e emprego e outras áreas relevantes, com particular incidência nas bolsas de pobreza das áreas metropolitanas; e) Combater a pobreza energética; f) Assegurar, no âmbito da descentralização das competências para os municípios na área da ação social, a existência de instrumentos em rede que garantam um padrão de respostas sociais que assegure a igualdade dos cidadãos no acesso a esses serviços públicos em todo o território nacional; g) Articular a Estratégia com a execução do 1.º Direito — Programa de Apoio ao Acesso à Habitação com vista a erradicar as carências habitacionais no nosso país até ao 50.º aniversário do 25 de Abril, em 2024; h) Aprofundar e monitorizar o modelo de trabalho em rede no quadro da Rede Social, reforçando o envolvimento dos diferentes atores e a equidade do modelo; i) Combater as desigualdades salariais e os leques salariais excessivos; j) Promover uma análise integrada aos indicadores estatísticos de apoio às políticas de combate à pobreza; k) Priorizar intervenções e instrumentos que quebrem ciclos de pobreza; l) Promover uma abordagem holística dos destinatários, uma intervenção em rede e uma melhoria da qualidade das respostas, que permitam soluções personalizadas e adequadas às pessoas e eficientes em termos de gestão de recursos.

Leave a Reply

- Advertisment -

Most Popular

COMENTÁRIOS RECENTES

Paula Alexandra Farinha Pedroso on Elias Vaz lança livro sobre lendas e mitos de Monsanto
%d bloggers like this: